Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Economistas
Notícias desta secção

A retórica vazia de Biden sobre a inflação

01.07.2022 Michael R. Strain

O protecionismo que prejudica as empresas americanas e aumenta os preços junto dos consumidores é ineficaz e prejudicial. Em vez disso, a administração deve concentrar esforços em impedir a transferência forçada de tecnologia de empresas americanas, levando a cabo um sério esforço multilateral para obrigar a China a cumprir as leis e normas internacionais e tomando medidas adicionais para estabelecer a liderança económica americana na região do Pacífico.

Não subam os limites de dívida pública na  Zona Euro

30.06.2022 Clemens Fuest

A tarefa central da política orçamental da Zona Euro é reestruturar a despesa, reduzindo ou pelo menos congelando gastos públicos que podem ser úteis, mas não essenciais. A estrutura e, portanto, a qualidade das finanças públicas já é um critério relevante no contexto da coordenação da política orçamental e deve ter um peso muito maior. A próxima reforma da governança económica da Zona Euro não deve ter como objetivo mudar as regras orçamentais, mas sim a forma como os governos as gerem.

Como alimentar a inflação e prejudicar o ambiente

23.06.2022 Anne Krueger

A administração Biden não identificou apenas as fontes da inflação de forma errada; está mesmo a aumentar a pressão inflacionista. Como se isso não bastasse, muitas das suas mais recentes ações são prejudiciais aos seus proclamados objetivos ambientais e climáticos.

Vão os consumidores dos EUA continuar a gastar?

15.06.2022 Jason Furman

Os últimos quatro meses de poupança abaixo da média representam apenas uma redução de 100 mil milhões de dólares nas reservas adicionais das famílias, ficando outros 2,3 biliões de dólares. Este montante é muito combustível para os consumidores poderem gastar.

Não contem com uma aterragem suave

06.06.2022 Nouriel Roubini

A História mostra-nos que uma aterragem suave é altamente improvável. Isso deixa-nos perante a possibilidade simultânea de uma aterragem forçada e um regresso a uma inflação mais baixa, ou perante um cenário estagflacionista. Em qualquer dos casos, é muito provável que haja uma recessão algures nos próximos dois anos.

Ver Mais
Publicidade
C•Studio