Economia Katainen: Portugal deve “aproveitar momento optimista” para aumentar atracção do investimento

Katainen: Portugal deve “aproveitar momento optimista” para aumentar atracção do investimento

O vice-presidente da Comissão Europeia elogia o "momento positivo" da economia portuguesa, com o crescimento das exportações e a queda do desemprego, mas avisa que ainda há trabalho para fazer.
Katainen: Portugal deve “aproveitar momento optimista” para aumentar atracção do investimento
Katainen elogiou o desempenho das exportações portuguesas e a queda do desemprego, mas lembrou que ainda há trabalho a fazer.
Bruno Simão
Rita Faria 20 de junho de 2017 às 13:11

Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão Europeia, defendeu esta terça-feira, 20 de Junho, que Portugal deve aproveitar o momento optimista que vive para melhorar as condições que permitam aumentar o investimento no país.

Na Grande Conferência Anual do Jornal de Negócios, subordinada ao tema "Investimento em Portugal e na Europa", Katainen elogiou o desempenho das exportações portuguesas e a queda do desemprego, mas lembrou que ainda há trabalho a fazer, nomeadamente no que respeita à diminuição da dívida pública e do crédito malparado.

"Estou muito feliz em regressar a Portugal e ver o ambiente geral, pode perceber-se uma perspectiva mais optimista em relação ao futuro", afirmou Katainen, destacando que "muitos factores mudaram na direcção positiva"

"Estou feliz com as exportações. Portugal tornou-se muito rapidamente um país exportador, devido às reformas feitas nos últimos cinco anos. E a descida do desemprego também é encorajadora", concretizou.

Nesse sentido, e olhando para os próximos três a cinco anos, o vice-presidente da Comissão Europeia, Katainen sublinhou que Portugal "deve aproveitar este período económico positivo para melhorar o ambiente no sentido de aumentar o investimento estrangeiro directo".

Estando a aumentar as suas exportações, o país deve também apostar na formação profissional de qualidade, na opinião do antigo-ministro da Finlândia. "Quando os países exportam muito precisamos de profissionais bem formados, deve ter-se atenção à formação profissional e à sua qualidade".

Por outro lado, Katainen destacou a necessidade de melhorar o financiamento das pequenas e médias empresas portuguesas, uma missão que implica resolver o problema do crédito malparado.

"Em termos de necessidade de reformas, um dos desafios-chave que deve ser abordado é o crédito malparado. Enquanto isto for um problemas vai significar que os bancos não podem financiar tanto a economia como seria necessário", explicou.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI