União Europeia May pede aos deputados "sangue frio" para forçar alterações ao acordo com UE

May pede aos deputados "sangue frio" para forçar alterações ao acordo com UE

"É necessário que todos mantenhamos o sangue-frio para conseguir as alterações que esta câmara exigiu e assim cumprir o Brexit no prazo acordado", dirá Theresa May no parlamento britânico.
May pede aos deputados "sangue frio" para forçar alterações ao acordo com UE
Reuters
Negócios 12 de fevereiro de 2019 às 12:00

A primeira-ministra vai esta terça-feira passar aos deputados britânicos uma mensagem de que é necessário forçar a União Europeia a aceitar alterações ao acordo para o Brexit.

"As negociações [com Bruxelas] estão numa fase crucial. É necessário que todos mantenhamos o sangue-frio para conseguir as alterações que esta câmara exigiu e assim cumprir o Brexit no prazo acordado", dirá Theresa May no parlamento britânico, de acordo com o discurso que foi antecipado pelo seu gabinete.  

Segundo o rascunho da intervenção que May fará hoje na Câmara dos Comuns, a primeira-ministra considera que será necessário mais tempo para colher cedências da parte de Bruxelas, pelo que não será ainda nesta semana que decorrerá a votação parlamentar de um acordo de saída revisto. 
  

Os responsáveis europeus têm insistido que não há margem para alterar o acordo que foi fechado com o governo britânico e depois chumbado por larga maioria no parlamento. Caso esta inflexibilidade se mantenha, o Reino Unido arrisca uma saída descontrolada da União Europeia a 29 de março.

Michel Barnier, responsável da UE pelas negociações com o Reino Unido, voltou ontem a fechar a porta à alteração do acordo fechado com Londres. "É claro da nossa parte que não vamos reabrir o acordo de saída, mas vamos continuar com as conversações nos próximos dias", disse Barnier esta segunda-feira.

Também ontem, a primeira-ministra rejeitou incluir no acordo de saída da União Europeia o estabelecimento de uma união aduaneira com o bloco europeu.

Theresa May rejeita assim uma das cinco condições colocadas por Corbyn em troca do apoio a um acordo para o Brexit. "Não estamos a considerar as propostas de Jeremy Corbyn para uma união aduaneira. Não estamos a considerar quaisquer propostas para permanecer numa união aduaneira. Temos de ter a nossa própria e independente política comercial", afirmou um porta-voz de May citado pela imprensa britânica.

 

O próximo debate no Parlamento britânico sobre o Brexit está marcado para 14 de fevereiro (quinta-feira).




pub

Marketing Automation certified by E-GOI