Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BP, Repsol e Galp reduzem preços dos combustíveis

A Galp, a BP e a Repsol reduziram o preço dos combustíveis, sendo que as duas últimas praticam preços mais elevados do que na companhia líder do retalho de combustíveis em Portugal.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 22 de Setembro de 2006 às 11:38
  • Partilhar artigo
  • ...

A Galp, a BP e a Repsol reduziram o preço dos combustíveis, sendo que as duas últimas praticam preços mais elevados do que na companhia líder do retalho de combustíveis em Portugal.

A partir de hoje, a Repsol recomenda que o litro de gasolina de 95 octanas custe 1,259 euros contra os 1,279 euros anteriormente praticados, ou seja, uma redução de dois cêntimos também patente no preço actual do gasóleo que é agora de 1,049 euros contra os anteriores 1,069 euros.

Na BP, a redução foi de 1,2 cêntimos de gasolina para os 1,257 euros contra os 1,269 euros anteriormente praticados. O gasóleo recuou um cêntimo de 1,067 euros para 1,057 euros.

A Galp Energia baixou hoje os preços dos combustíveis em dois cêntimos, praticando os preços mais baixos entre as três companhias. A petrolífera baixa assim os valores praticados pela segunda vez em três dias. No espaço de um mês já diminuiu o custo dos combustíveis oito vezes, equivalente a uma redução de 15 cêntimos.

A partir de hoje, na Galp, a gasolina sem chumbo 95 octanas passa a custar 1,238 cêntimos por litro, contra os 1,258 euros anteriores. Uma redução de dois cêntimos também patente no novo preço do litro da gasolina de 98 octanas, que custa agora 1,303 euros contra os anteriores 1,323 euros.

A Galp recomenda que os postos de abastecimento da rede diminuam em igual montante o preço do gasóleo, de 1,058 para 1,038 euros.

Nos últimos tempos os preços do petróleo e das matérias acabadas (gasóleo e gasolina) têm vindo a perder valor nos mercados internacionais. Apesar de estar hoje a valorizar, o petróleo está a negociar perto do nível mais baixo dos últimos seis meses, em torno dos 61 dólares por barril. Em Nova Iorque o crude já anulou os ganhos de 2006 e na bolsa de Londres o "brent" está a subir 4,5% este ano. Contudo, em euros, os preços estão também abaixo do verificado no final de 2005.

Outras Notícias