Empresas FBI investiga J&J, Siemens, GE e Philips por suspeitas de corrupção no Brasil

FBI investiga J&J, Siemens, GE e Philips por suspeitas de corrupção no Brasil

As autoridades suspeitam que as empresas estão a pagar a funcionários do governo para garantirem contratos no Brasil.
FBI investiga J&J, Siemens, GE e Philips por suspeitas de corrupção no Brasil
Reuters
Negócios 17 de maio de 2019 às 12:49

O FBI está a investigar gigantes como a Johnson & Johnson, Siemens, General Electric e Philips. As autoridades suspeitam que estas empresas podem estar envolvidas num esquema de subornos para a venda de equipamento médico no Brasil, avança a Reuters, citando dois investigadores brasileiros.

 

De acordo com a agência de notícias, os procuradores brasileiros suspeitam que foram feitos pagamentos por parte destas empresas a funcionários do governo para garantirem contratos relativos a programas ligados ao setor da saúde. Uma prática que, alegam, já deverá durar há duas décadas.

 

As autoridades dizem que mais de 20 empresas podem ter participado num cartel que subornou e cobrou ao governo preços inflacionados por material médico, como máquinas de ressonância magnética e próteses. As quatro multinacionais, com uma capitalização bolsista de perto de 600 mil milhões de euros, são as quatro maiores empresas estrangeiras que estão a ser investigadas, naquela que é uma investigação sem precedentes no Brasil.

 

A procuradora federal brasileira Marisa Ferrari confirmou à Reuters que as autoridades norte-americanas do Departamento de Justiça e da SEC estão a apoiar a investigação.

 

"Estamos constantemente a partilhar informação com o FBI sobre este caso. Pediram documentos e enviámos e estão, por sua vez, a apoiar-nos na nossa investigação", disse Ferrari. A responsável recusou nomear que empresas é que as autoridades norte-americanas estão a investigar.

 

Da parte das empresas, a GE não quis comentar, enquanto a Siemens disse "não estar a par de qualquer investigação do FBI à empresa" no Brasil.

 

Já a Philips confirmou estar a ser investigada no Brasil, dizendo ser habitual as autoridades dos EUA "mostrarem interesse nestas matérias".

 

A Johnson & Johnson disse, num email, que o Departamento de Justiça e a SEC "fizeram inquéritos preliminares à empresa" relativamente a uma busca nos escritórios da empresa em São Paulo, no ano passado.




Marketing Automation certified by E-GOI