Transportes Cruzeiros criaram 1.500 empregos em 2015

Cruzeiros criaram 1.500 empregos em 2015

Os impactos directos da indústria dos cruzeiros em Portugal aumentaram para 239 milhões de euros em 2015. O país passou a ser o sexto destino dos passageiros europeus.
Cruzeiros criaram 1.500 empregos em 2015
Bloomberg
Maria João Babo 03 de julho de 2016 às 21:15

Entre postos de trabalho directos, indirectos e induzidos, a indústria de cruzeiros foi responsável por mais de 9.600 empregos em 2015 em Portugal, um número que representa a criação de mais 1.524 postos de trabalho (mais 20%) do que no ano anterior, revela um estudo sobre o contributo do turismo de cruzeiros para as economias europeias em 2015. De acordo com a documento, também a massa salarial nesta indústria aumentou no ano passado 30 milhões, para os 135 milhões de euros.

A análise, da Associação Internacional de Companhias de Cruzeiros (CLIA na sigla inglesa), estima em mais de 360 mil o total de empregos gerados por esta actividade na Europa em 2015, número que representou um aumento de 3,3% face a 2014.

A associação estima, por outro lado, que os impactos directos da indústria de cruzeiros em Portugal atinjam os 239 milhões de euros, um valor que representa mais 46 milhões relativamente a 2014.

No ano passado, Portugal passou do sétimo para o sexto lugar como destino de cruzeiro dos passageiros europeus, tendo sido apenas ultrapassado pela Itália. Espanha, Grécia, Noruega e França, revelou o estudo. Croácia, Reino Unido e Malta ficaram atrás de Portugal.

Sobre a despesa feita pelos passageiros dos cruzeiros, o estudo, divulgado no mês de Junho, refere que em termos globais cada passageiro em trânsito gasta cerca de 61,8 euros por escala. No entanto, o porto de Lisboa, citando dados do Observatório do Turismo, aponta para mais do dobro deste valor no caso da capital portuguesa. Segundo estas estimativas, em 2015, em média, um passageiro de cruzeiro efectuou uma despesa de cerca de 130 euros por dia na cidade.

Como país de origem de passageiros de cruzeiros, Portugal ocupou o 13º lugar de entre os países europeus, com apenas 36 mil passageiros de um total que, em termos europeus, soma 6,12 milhões.

Analisando a evolução deste sector nos últimos cinco anos, a CLIA aponta para um aumento do número de passageiros europeus de 18,4% e para o crescimento de mais de 16% do impacto desta indústria.


Cruzeiros A contribuição para a economia europeia Impacto económico de 40,9 mil milhões
O impacto económico da indústria de cruzeiros na economia europeia foi de 40,95 mil milhões de euros em 2015, o que corresponde a um aumento de 2% face ao ano anterior, considerado um recorde histórico. De acordo com o estudo da CLIA, por cada milhão de euros gasto nesta indústria são gerados 2,42 milhões de euros de volume de negócios.

Quase 16,9 mil milhões de impacto directo
Já os impactos económicos directos totalizaram no ano passado 16,89 mil milhões de euros. Destes, o estudo refere que 4,6 mil milhões foram gerados na construção e manutenção de navios; 6,9 mil milhões em gastos das linhas de cruzeiro com bens e serviços e 3,83 mil milhões em gastos de passageiros e tripulantes em excursões, hotéis e passagens aéreas.

Mais de 23 milhões de passageiros
A associação estima em 23,19 milhões o número de passageiros de cruzeiros em 2015 a nível mundial, representando os países europeus 28,4% do total. Nos portos europeus embarcaram  6,12 milhões de passageiros, sendo que cinco mercados – Alemanha, Reino Unido, Itália, França e Espanha – pesam 83%. O número de passageiros portugueses cresceu 0,5% para 36 mil.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI