Outros sites Cofina
Notícia

Apolónia quer abrir três supermercados no Sul de Espanha

Ao mesmo tempo que planeia a expansão da rede de supermercados para o resto do país, o grupo Apolónia está a planear abrir três lojas no Sul de Espanha. A ideia é tirar partido do conhecimento e experiência com o mercado britânico.

Bruno Simões brunosimoes@negocios.pt 27 de Outubro de 2016 às 00:01
Pedro Elias
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O grande desafio que se segue é sair do Algarve?
Paulo Apolónia (PA): O nosso grande desafio é continuar a fazer mais lojas e tentarmos aproximarmo-nos cada vez mais dos nossos clientes. Não temos nenhum plano que amanhã tenha de ser aqui ou ali. Vamos expandir mais lojas no Algarve, no resto do país e também no Sul de Espanha.

No Algarve quais são as prioridades?
PA: [Ir para] onde falta. É continuar a ir para Lagos e para o lado de Tavira.

E no Sul de Espanha?
PA: São as zonas balneares. Nós temos uma forma de trabalhar o mercado inglês que em Espanha ainda não existe, e então existe ali uma oportunidade.

Mais que uma loja, imagino.
PA: Sim. Neste momento temos identificados três sítios. Tudo depende da evolução das coisas cá em Portugal. Espanha não é um país muito fácil de investir para quem não é espanhol.
Avelino Apolónia (AA): Espanha é muito [zelosa com] os produtos deles.

Pode revelar essas três localizações ou prefere não dizer?
PA: Não posso.

Consegue quantificar quantos dos seus clientes são estrangeiros?
PA: Depende da altura do ano. No Verão é meio-meio, com tendência a ser mais portugueses do que estrangeiros. No Inverno, são mais os estrangeiros. É normal, quando chegamos ao Inverno, estas pessoas todas que estão cá de férias no Verão deixam de estar. Quer a loja com mais e com menos serviço acaba por ter menos clientes.

É a quebra da sazonalidade.
PA: Sim, no Algarve sentimos muito a sazonalidade. A quebra é muito, muito grande. É normal. O Algarve tem 400 mil habitantes, no Verão são dois milhões.

Quais são os produtos mais extravagantes que tem no seu supermercado?
PA: Mais caros são sempre o vinho, os champanhes.
AA: Caviar.
PA: Temos aquelas bolachas de carvão, de melancia. Não temos três variedades de sal, temos talvez 100; não temos duas variedades de azeite, temos talvez 50. O mesmo com vinagre, molhos, massas.

Mais notícias