Outros sites Cofina
Notícia

Saiba como concorrer ao prémio e chegar a Silicon Valley

Conheça as condições deste prémio instituído pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), em parceria com a EY, que visa reconhecer, apoiar e promover jovens empresas portuguesas com potencial de internacionalização e exportação para os Estados Unidos.

António Larguesa alarguesa@negocios.pt 24 de Janeiro de 2017 às 12:18
Noah Berger/Reuters
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Quem se pode candidatar?
Podem candidatar-se micro, pequenas ou médias empresas (de acordo com os critérios definidos no anexo ao Decreto-Lei n.º 372/2007, de 6 de novembro) de qualquer sector de actividade e de base tecnológica, com comprovada experiência e/ou estratégia de internacionalização e/ou exportação para os Estados Unidos da América. Têm de ser sociedades de direito português, constituídas há menos de cinco anos à data da recepção da candidatura.

Qual o prazo e o custo da candidatura?
O período de candidaturas ao prémio FLAD.EY Buzz USA arrancou esta segunda-feira, 23 de Janeiro, e prolonga-se até ao dia 24 de Fevereiro de 2017. O processo é totalmente gratuito e a informação a enviar será analisada pelo júri composto por cinco elementos, que depois irá seleccionar as vinte melhores candidaturas. As entidades promotoras comprometem-se a manter a confidencialidade de toda a documentação incluída no formulário de inscrição e outra que venha a ser solicitada e entregue pelos candidatos.

Como se pode candidatar?
A candidatura deve ser feita exclusivamente em formato digital, através do envio do formulário de inscrição completamente preenchido, disponível no site http://go.flad.pt/flad-ey-buzz-usa. A documentação de suporte deve ser enviada também em formato digital (ficheiro ou pasta comprimida em formato "zip") em conjunto com o formulário de inscrição. Em alternativa podem ser disponibilizadas ligações (links) através das quais o júri possa aceder a esses documentos, incluindo os que considere que podem beneficiar a sua candidatura.

Quais os critérios de avaliação?
O mérito de cada candidatura será aferido por combinação ponderada de três critérios. O primeiro é o currículo da empresa e a robustez da ideia de negócio, atendendo em particular à valia, qualificação e resiliência dos empreendedores, assim como à "robustez e aderência" do plano de negócios. O segundo critério é o da solidez dos resultados históricos ou previsionais, com foco nos resultados já alcançados e nas expectativas futuras e que sejam devidamente fundamentadas. O potencial de internacionalização, incluindo o conhecimento do mercado e a capacitação da empresa para esse mercado, é o terceiro critério de avaliação estabelecido no regulamento.

A que tem direito o vencedor?
O prémio é constituído por um período de imersão de até quatro semanas, para duas pessoas, numa incubadora em São Francisco, na Califórnia. O programa concreto será escolhido em função das características da empresa vencedora. A organização, contando aqui com a parceria da associação "West to West", que pretende fomentar a ligação entre a costa oeste dos EUA e Portugal, explica que o objectivo é "proporcionar um alto nível de compreensão das melhores práticas de Silicon Valley, em termos de produto e desenvolvimento tecnológico".
Mais notícias