Outros sites Cofina
C-Studio
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

“Um treinador que só sabe de futebol não sabe nada de futebol”

Em entrevista, José Mourinho revela alguns dos fatores-chave de sucesso que lhe permitiram tornar-se um dos treinadores de futebol mais bem-sucedidos da história.

08 de Setembro de 2022 às 11:28

José Mourinho é embaixador da marca global XTB. Famoso pela sua abordagem inflexível às dificuldades, o bicampeão da Liga dos Campeões José Mourinho é amplamente considerado um dos maiores treinadores de todos os tempos e um dos mais condecorados de sempre. Em entrevista, José Mourinho revela alguns dos fatores-chave de sucesso que lhe permitiram tornar-se um dos treinadores de futebol mais bem-sucedidos da história. Partilhou as suas ideias não só sobre a carreira e liderança como treinador, mas também sobre a motivação, criação de estratégia e autodesenvolvimento – elementos essenciais para um investidor de sucesso.



1. Quais são as lições que aprendeu como treinador? Pode o treino desportivo traduzir-se nos negócios e na vida em geral?

As lições que aprendi com o treino [de futebolistas], eu diria, que as aprendi muito antes de me tornar treinador. Um grande professor que tive na universidade estava sempre a dizer-me: “Um treinador que só sabe de futebol não sabe nada de futebol. É preciso saber essencialmente sobre o ser humano” – estas são as suas palavras que eu uso constantemente. Os jogadores de futebol não são jogadores de futebol. São homens que jogam futebol e essa foi uma grande lição que aprendi desde o início. A lição que aprendi com o treino é que o ser humano é o lado humano do desporto e, claro, pode o mesmo aplicar-se aos negócios e a outras áreas da vida social. Penso que esta é a coisa mais importante que define a liderança.



2. A liderança é essencial para se ser bem-sucedido não só no desporto. Qual é o segredo então para ser um bom treinador?

Bem, o mais importante é que as pessoas têm de nos seguir. E para nos seguirem, têm de acreditar em nós. Normalmente acreditam em nós se sentirem empatia, se sentirem honestidade. No meu caso pessoal como líder, o que isso significa para mim é exatamente a responsabilidade de não desapontar os nossos. Temos de estar com eles e para eles o tempo todo, têm de confiar em nós.



3. O desporto, bem como os negócios, pode ser imprevisível e por vezes as coisas não funcionam como planeado. Como mantém a sua estratégia apesar das circunstâncias desfavoráveis?

Construir estratégias é tentar reduzir a imprevisibilidade de tudo. O futebol, assim como muitas áreas da nossa vida, tem um grau de imprevisibilidade. Não se pode prever tudo, mas quanto mais preparado se está, mais se coloca no treino. Podemos reduzir essa imprevisibilidade, e isso dá-nos segurança que depois transmitimos às nossas escolhas. Sabemos que os jogos de futebol têm algum risco, claro, mas temos de tentar reduzir esse risco, preparando-nos da melhor forma possível.



4. Mas, por vezes, é necessário tomar decisões difíceis.

É difícil ter uma semana sem uma decisão difícil por tomar. Decisões difíceis em termos de liderança, decisões difíceis para tentar ganhar o jogo, para ajudar a sua equipa a ganhar o jogo. Como lidar com isso? Por vezes tentamos preparar-nos, claro, mas ao mesmo tempo há momentos em que temos de confiar em nós próprios. Temos de confiar na nossa análise, mas por vezes temos de confiar nos nossos sentimentos e, fundamentalmente, também temos de desfrutar desse risco. Se não aproveitarmos esse risco e o que vem com ele, nunca vamos conseguir. Por isso, por vezes temos de o fazer e, em vez de sentirmos uma enorme pressão à nossa volta, apenas temos de desfrutar da situação.



5. Então qual é o seu melhor conselho para lidar com a pressão?

Tento não sentir uma forte pressão com o meu trabalho. Penso que tenho uma boa relação com a pressão. Não ter nenhuma pressão não é bom. Muita pressão, se a sentirmos profundamente, também não é boa. Por isso, é preciso tentar ter uma boa relação com ela. O meu melhor conselho sobre como lidar com a pressão? Penso que há algo mais importante do que a pressão – é a nossa identidade, é o que sentimos, o que pensamos, as nossas ideias. Por isso, não sejam influenciados pelo exterior e pela pressão que sentem. Tentem lidar com isso de uma forma positiva, utilizando os vossos conhecimentos e experiência. A experiência ajuda a lidar com ela, mas o mais importante é, uma vez mais, desfrutar um pouco dessa pressão.



6. É o primeiro treinador na história a ganhar a Liga dos Campeões, a Liga Europa e a Liga Conferência Europa com as equipas que formou. Como constrói e motiva uma equipa e gere os seus talentos?

É conhecer os jogadores, conhecê-los bem. Todos eles são diferentes e todos eles precisam de uma forma diferente de comunicar, uma forma diferente de lhes dar feedback, de os motivar. O mais importante, mesmo importante, é conhecer a sua essência, saber bem sobre eles e depois interagir com eles quase de uma forma individual. Eu diria que é como quando se vai a um restaurante e se come à la carte, como se diz em francês. À la carte é basicamente o que se tem a ver com o jogador. Não se olhe para eles como se fossem todos iguais, porque todos são diferentes. Bem, é bem mais fácil dizer do que fazer. Para uma equipa como um todo, é necessário criar uma ligação com todos. É preciso fazer com que todos se sintam importantes, é preciso fazer com que todos se sintam parte da equipa e, para isso, é preciso conhecer muito bem as pessoas. Tem de se saber como interagir com qualquer uma delas, tem de se saber como fazê-las sentir-se importantes para que se sintam parte da equipa, para que se sintam importantes para a equipa – isto é o mais importante. Assim, voltando provavelmente à minha resposta anterior, o lado humano é o mais importante para criar uma ligação com cada um.



7. Uma gestão eficaz do desempenho é essencial para as empresas. Com base na sua experiência, o que é que as pessoas precisam para terem um desempenho de alto nível?

Eu diria que este é o tipo de característica que faz os verdadeiros campeões. Ganhar, ganhar num determinado momento acontece por vezes, ganhar durante muitos anos, estar a um nível elevado durante muitos anos como alguns jogadores estão, está à altura da sua resiliência. Faz parte também do seu ADN não gostar de perder, mesmo numa sessão de treino, por isso manter o seu alto desempenho nem sequer é um desafio para eles, é apenas parte da sua natureza.



8. As pessoas limitam frequentemente o seu potencial. Como ousa quebrar os próprios limites?

Penso que o segredo é nunca estar satisfeito com o que se tem e querer sempre mais. Se queremos ganhar medalhas, querer ganhar mais. Se marcamos golos, querer marcar mais. Se ganharmos algum dinheiro, querer ganhar mais. É tudo sobre o “mais”. Nunca parar, e sabemos que esse sentimento nada tem a ver com a idade, tem a ver com a nossa própria personalidade.



9. Há dois anos que é embaixador da XTB – uma corretora global de investimentos online. Quais são os valores comuns que partilha com a XTB?

Uma estratégia bem pensada, desejo de vencer, o mesmo se aplica aos investimentos. No final de contas, todos querem ganhar. No meu caso, é no futebol. No caso da XTB, é claro que é uma área diferente, mas tem o mesmo desejo de somar conquistas, aprendendo todos os dias, tentando ser melhor a cada dia. Por vezes, é a intuição. Mas também há muito estudo, preparação e um investimento em si próprio.




Este conteúdo foi produzido integralmente pela XTB