Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo vai tornar mais fácil retirar subsídio a desempregados

Centros de emprego vão passar a enviar segundas convocatórias por correio registado automaticamente. O objectivo é contrariar a descida do número de anulações, que em dois anos cairam 39%

  • Assine já 1€/1 mês
  • 49
  • ...

Os centros de emprego vão passar a enviar automaticamente uma segunda convocatória aos desempregados por correio registado. A decisão, anunciada esta quarta-feira pelo Governo, foi discutida com a troika e tem como objectivo facilitar a anulação de desempregados subsidiados.

 

Os dados divulgados esta segunda-feira pela Comissãode Recursos do IEFP revelam que o número de anulações de desempregados que recebem subsídio por incumprimento das obrigações previstas na lei caiu acentuadamente, num recuo de 39% nos últimos dois anos, tal como o Negócios então noticiou.

 

Em tempo de crise, os desempregados são mais cumpridores, mas essa não é a única explicação: o relatório referia que para esta evolução terá contribuido o facto de as primeiras convocatórias terem deixado de ser sempre enviadas em correio registado. Desde 2012 que a primeira convocatória é feita por correio normal. A segunda deve ser feita por correio registado, mas o problema é que nem sempre os centros de emprego procedem ao segundo envio.

 

Esta quarta-feira o secretário de Estado do Emprego, Octávio Oliveira, explicou que a diminuição do envio de cartas em correio registado teve como objectivo evitar "um custo elevadíssimo".

 

Mas acrescentou também que a questão foi discutida com a troika e que foram tomadas novas decisões.

 

Assim, a partir de Março, haverá "uma alteração ao sistema informático que permitirá que a segunda convocatória seja emitida automaticamente", anunciou Octávio Oliveira.

 

O objectivo é garantir "maior eficiência nesse processo", acrescentou o secretário de Estado, que foi presidente do IEFP.

 

O secretário de Estado não o disse, mas o custo do envio por correio registado poderá ser compensado através de poupanças nos custos com subsídio de desemprego.

Ver comentários
Saber mais IEFP secretário de Estado do Emprego Octávio Oliveira desempregados
Outras Notícias