Economia LNEC garante que Ponte 25 de Abril "está e estará segura"

LNEC garante que Ponte 25 de Abril "está e estará segura"

O presidente do conselho directivo do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), Carlos Pina, garantiu esta quinta-feira que a Ponte 25 de Abril "está e estará segura", explicando que não existe perigo para os utentes.
Negócios com Lusa 08 de março de 2018 às 21:08

Carlos Pina, que falava aos jornalistas no LNEC, em Lisboa, disse que o relatório foi pedido ao laboratório para identificar as anomalias da infra-estrutura.

 

O mesmo responsável referiu que está previsto que as obras decorram durante dois anos e que durante esse período não existe perigo para os utentes da Ponte 25 de Abril, explicando que está afastada a ideia de interdição da circulação de veículos pesados na ponte, o que só poderia acontecer caso a situação se agravasse.

Entretanto, em comunicado enviado às redacções esta noite, o Ministério das Finanças esclareceu que "a autorização das obras de manutenção da Ponte 25 de Abril não tardou os seis meses que têm sido referidos pela comunicação social".

 

"A Lei do Orçamento do Estado para 2018 previa já os montantes necessários à intervenção na Ponte 25 de Abril, no quadro do calendário de manutenção regular e plurianual previamente estabelecido", sublinha o comunicado.

 

Recentemente, dois relatórios, um de Janeiro de 2018 (realizado pelo Instituto de Soldadura e Qualidade) e outro de Fevereiro de 2018 (realizado pelo LNEC), indicaram a necessidade de realização de obras a curto prazo, confirmando a programação previamente definida pela Infra-estruturas de Portugal, explica. "Face à urgência identificada nesses relatórios, o Ministério das Finanças aprovou prontamente as respectivas portarias de extensão de encargos".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
pertinaz 08.03.2018

QUE ESCUMALHA DE DESGOVERNO... AS SITUAÇÕES SÓ SE RESOLVEM QUANDO HÁ DESGRAÇAS...!!!

pub