Economia Marcelo considera "muito boas notícias" dados do crescimento económico e desemprego

Marcelo considera "muito boas notícias" dados do crescimento económico e desemprego

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou serem "muito boas notícias" a "magnífica confirmação" do crescimento económico de 2,7% em 2017 e a "boa surpresa" em relação à subida deste indicador em 2016.
Marcelo considera "muito boas notícias" dados do crescimento económico e desemprego
Lusa
Lusa 28 de fevereiro de 2018 às 19:52

O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou que a economia portuguesa cresceu 2,7% em 2017 e aproxima-se do valor que tinha em 2010, tendo ainda revisto em baixa a taxa de desemprego de Dezembro para os 8,0%.

 

"Em termos de indicadores macroeconómicos, respeitando-se à economia como um todo e às nossas finanças, muito boas notícias para este quase aproximar do fim do primeiro trimestre", disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, à margem de uma conferência em Lisboa, quando questionado sobre estes dados.

 

O Presidente da República disse não ter ficado surpreendido com "uma magnífica confirmação no caso do crescimento de 2,7%", acrescentando que "relativamente ao ano de 2016 foi uma boa surpresa a subida de 1,5% para 1,6%".

 

"Também uma confirmação, mas muito agradável, aquela da quebra do desemprego do final do ano passado para Janeiro deste ano, portanto abaixo da fasquia dos 8%", detalhou ainda.

 

A evolução "muito positiva do desemprego" coloca Portugal, sublinhou Marcelo Rebelo de Sousa, "muito longe de números" que já teve e é "um sinal promissor". "É bom para o país, é muito bom para o país, para nós cá dentro, porque é mobilizador, e é bom lá fora porque confirma a boa impressão que há lá fora em relação à economia portuguesa", disse ainda.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub