Outros sites Medialivre
Notícias em Destaque
Notícia

Montenegro e Ventura em debate esta segunda-feira. Veja aqui o calendário

A semana arranca com um dos debates mais esperados: AD - Chega. É às 21h na RTP.

Tiago Sousa 12 de Fevereiro de 2024 às 15:00

Arrancaram na segunda-feira, dia 5 de fevereiro, os 30 debates eleitorais de antecipação das eleições. Uma jornada que termina no dia 23 de fevereiro, na RTP 1 e RTP 3, com um debate entre todas as forças políticas representadas na Assembleia da República atualmente.

Todos vão debater entre si. Este debates são preparatórios do início da campanha eleitoral que está agendado para o dia 25 de fevereiro, dois dias depois do último encontro dos partidos em televisão nacional. Todos os debates terão uma duração entre os 25 e os 30 minutos, à exceção do debate entre os líderes dos dois maiores partidos - Pedro Nuno Santos e Luís Montenegro vão debater ao longo de 75 minutos. 

Acordos à direita, à esquerda, o apelo ao voto útil, o desempate entre os partidos do centro e o momento das escolhas para os eleitores mais indecisos. Muito vai estar em cima da mesa ao longo desta dezena de debates que arrancam esta segunda-feira e se prolongam até ao dia 23 de fevereiro.



AD vs Chega - Montenegro diz não, mas Ventura vai insistir

Luís Montenegro já disse que não se vai coligar com o Chega no caso de vencer sem maioria, mas tem agora de provar que é mais aquilo que o separa de Ventura do que o que os une. Os sociais-democratas, que não estão com as sondagens a seu favor, têm aqui uma oportunidade de captar o voto ao eleitorado insatisfeito com a governação socialista que procura nos partidos de direita a solução. André Ventura não parece aceitar de ânimo leve a nega dos sociais-democratas e já assegurou até ter a "garantia total" de "forças vivas do PSD", que, com ou sem Montenegro, havendo maioria de direita, haverá Governo. Um debate para ver na RTP 1 e RTP 3 no dia 12 de fevereiro às 21:00.

Livre vs PAN -  O debate dos mais pequenos

O debate dos pequenos também interessa. PAN e Livre, os dois partidos que estiveram representados por apenas um deputado na última legislatura, querem ser maiores no plenário. Para isso, precisam de convencer quem vota a juntarem-se à sua causa. No caso do Livre, uma esquerda europeísta, no caso do PAN, o centro-esquerda ambientalista e defensora dos direitos dos animais. Um debate que não promete grande sobressalto para nenhum dos dois protagonistas, até porque não há muito que os separe, mas que pode dar respostas a um eleitor indeciso. Para ver ainda antes do jantar, às 18:15 na RTP 3 no dia 14 de fevereiro. 


PS vs Chega - Íman de curiosos

As atuais primeira e terceira força políticas vão protagonizar um debate que promete ser dos que capta mais atenções do eleitorado. Pedro Nuno Santos e André Ventura vão estar frente-a-frente pela primeira vez, durante uma campanha marcada por fortes críticas de parte a parte. Provavelmente, não serão muitos os eleitores indecisos entre as duas forças políticas, mas isso não deverá afastar os portugueses curiosos com este embate. Pode ser visto na TVI, no dia 14 de fevereiro às 21:00.

IL vs BE - Um debate com audiência jovem?

As últimas sondagens mostram que dois dos partidos favoritos dos jovens são a Iniciativa Liberal e o Bloco de Esquerda. Duas ideias políticas diferentes, mas que se unem, em alguns pontos, no liberalismo social. As diferenças são por demais evidentes, sendo, em muitos aspetos, opostos na visão económica que têm para o país. De um lado a defesa do mercado livre e alívio fiscal, do outro o reforço do Estado social e aumento da taxação dos maiores rendimentos. Um debate de ideias que parece interessar aos jovens (e não só, claro) e que poderá ser acompanhado no dia 15 de fevereiro, às 18:00 na CNN Portugal.

PS vs BE - Hora de pensar "geringonça"

O Bloco de Esquerda já abriu uma porta à reconstrução de uma nova "geringonça", mas junto trouxe um caderno de encargos aos quais o PS não deu, ainda, respostas concretas. Pedro Nuno não rejeita acordos à esquerda, mas quer esperar pelo resultado das eleições. Este pode ser um bom momento para se perceber quão longe pode ir a possibilidade de um acordo entre bloquistas e socialistas, e até onde estará disposto a ceder o novo secretário-geral do PS. Novamente, um debate de estreantes nas lideranças partidárias em tempo de legislativas e que pode ser visto a 16 de fevereiro, às 20:30, na RTP 1 e RTP 3.

AD vs IL - O apelo ao voto útil

No mesmo dia, uma história parecida, mas à direita. A Iniciativa Liberal recusou juntar-se à Aliança Democrática e este será o momento certo para se perceber as razões dos liberais. Além disso, a IL não recusa integrar um acordo pós-eleitoral que viabilize um Governo de direita, e este pode ser o "timing" para apresentar o caderno de encargos a Luís Montenegro. O PSD deve apostar no apelo ao voto útil na AD, argumentando que, de outra forma, não será possível derrotar os socialistas e garantir uma alternativa de Governo. O debate será transmitido pela SIC, no dia 16 às 21:00.


PS vs CDU - Um acordo talvez "irrepetível"

Aqui, o interesse volta a estar nos possíveis acordos pós-eleitorais, mas os contornos são outros. Depois de comunistas terem viabilizado uma governação minoritária do PS nos tempos da geringonça, desta vez os comunistas redobram as exigências e parecem mais distantes das possibilidades de integrarem um acordo à esquerda. Ainda assim, nada é ainda definitivo e este debate pode até servir para Pedro Nuno Santos se aproximar do que pedem os comunistas. Encontro marcado para as 21:00 na SIC no dia 17 de fevereiro.


PS - AD - O decisivo

Os dois partidos de Governo. O debate mais ansiado, assim dita a história democrática portuguesa, vai opor o PS ao PSD, ambos na busca do voto ao centro. De um lado, um PS com uma liderança renovada, com bons números da economia para exibir, mas manchado pela polémica judicial que fez cair o Governo e debaixo de críticas de vários setores do país. Do outro, uma AD que garante ser a "alternativa que o país precisa", que chega a estas eleições com novas propostas e uma lista renovada, mas que não parece, até agora, capaz de capitalizar os casos do Governo PS.

Os dois estreiam-se como líderes partidários em eleições legislativas. Pedro Nuno deve, como já tem feito, explorar ao máximo a possibilidade (já várias vezes negada por Montenegro) da AD se vir a coligar com o Chega em caso de necessidade para ser Governo. Montenegro vai atirar com o que diz ser a "impulsividade, imaturidade e precipitação" do recém-eleito líder socialista. 

O debate vai ter transmissão televisiva em simultâneo na RTP, SIC e TVI e está agendado para o dia 19 de fevereiro às 20:30




Calendário dos debates que ainda vão decorrer:

Segunda-feira, 12 de fevereiro
21h00 AD - Chega (RTP)

Terça-feira, 13 de fevereiro
18h00 CDU - Livre (CNN Portugal)
22h00 Chega - BE (RTP3)

Quarta-feira, 14 de fevereiro
18h00 Livre - PAN (RTP 3)
21h00 PS - Chega (TVI)
22h00 IL - CDU (RTP3)

Quinta-feira, 15 de fevereiro
18h00 IL - BE (CNN Portugal)

Sexta-feira, 16 de fevereiro
20h30 PS - BE (RTP)
21h00 AD - IL (SIC)
22h00 Chega - Livre (SIC Notícias)

Sábado, 17 de fevereiro
20h30 AD - Livre (TVI)
21h00 PS - CDU (SIC)

Domingo, 18 de fevereiro
22h00 BE - PAN (CNN Portugal)

Segunda-feira, 19 de fevereiro
21h00 PS - AD (simultâneo TVI, RTP, SIC)

Terça-feira, 20 de fevereiro
21h00 Debate entre os partidos sem assento parlamentar (RTP1/RTP3)

Quinta-feira , 23 de fevereiro
21h00 Debate entre os partidos com assento parlamentar (RTP1/RTP3)

Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio