Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Revista do ano: Junho

Ministros e secretários de Estado comemoram um ano de Governo. Passos Coelho define as novas prioridades para o segundo ano de governação e Portas afirma que "a boa notícia é que metade deste ano já passou". Junho foi também o mês do Euro 2012. Portugal estreia-se contra a Alemanha e resiste até às meias-finais, onde é derrotado pela Espanha.

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 17 de Dezembro de 2012 às 00:01

Os momentos nacionais

 

Governo de Passos Coelho completa um ano

A 24 de Junho, ministros e secretários de Estado reúnem-se no Palácio da Ajuda para um Conselho de Ministros informal, por ocasião da comemoração de um ano de Governo. "Temos muito a fazer mas estamos agora mais perto de atingir as metas. Os portugueses sabem que o caminho nunca prometeu facilidades mas é o caminho certo para mudarmos de vida", disse Passos Coelho numa comunicação ao País. 

 

5 de Junho Troika quer medidas mais urgentes para flexibilizar salários. Capitalização da banca, criação de um fundo para injectar capital nas PME, reformas estruturais e insistência em medidas adicionais de flexibilização do mercado de trabalho são as linhas mestras da quarta avaliação da troika. Estas medidas são a receita para levar o País de novo ao crescimento e com este fazer face ao aumento do desemprego, visto pela troika como uma "preocupação premente".  

 

9 de Junho Portugal estreia-se no Euro 2012. A selecção portuguesa estreia-se no Euro 2012 – que decorreu na Polónia e na Ucrânia – a 9 de Junho contra a equipa germânica. A Alemanha venceu Portugal por 1-0. O único golo da partida foi marcado por Mario Gomez. A 13 de Junho, Portugal venceu a Dinamarca por 3-2, e a 17 de Junho derrotou a Holanda por 2-1. Nos quartos de final, a equipa das quinas venceu a República Checa mas foi afastada da competição, nas meias finais, pela selecção espanhola, que a 1 de Junho se consagrou campeã europeia ao vencer a Itália por 4-0.

 

10 de Junho "Recuperação pode não estar muito distante". Nas comemorações do Dia de Portugal, Cavaco Silva afirma que "a recuperação económica pode ser uma realidade não muito distante". O Presidente da República destaca ainda que Portugal está a "fazer um esforço muito sério e responsável para honrar os compromissos assumidos" com a troika.

 

13 de Junho Isabel dos Santos é cada vez mais dona da Zon. Isabel dos Santos conclui a compra da posição de 10,96% que a CGD possuía na Zon. A empresária terá pago 2,60 euros por acção, o que significa que investiu mais de 85 milhões de euros para ficar com os mais de 33 milhões de acções que equivaliam à participação do banco público.

 

24 de Junho As novas caras da Cimpor. A Camargo Corrêa que assegurou 94,8% do capital da Cimpor começou a substituir o conselho de administração da cimenteira. A principal novidade está na escolha de Daniel Proença de Carvalho para presidir ao Conselho de Administração. Para o cargo de CEO, a Camargo escolheu o gestor brasileiro Ricardo Lima, vice-presidente de Operações da InterCement desde 2004.  

 

Diminuir salários não é uma política, é uma urgência. 

António Borges a 1 de Junho

 

Os momentos internacionais

 

2 de Junho Hosni Mubarak condenado a prisão perpétua. Hosni Mubarak, que durante

30 anos governou o Egipto, foi condenado a prisão perpétua por envolvimento na morte de 850 manifestantes durante a revolta popular que o derrubou em Fevereiro de 2011.

 

9 de Junho Espanha pede ajuda europeia para a banca. Numa reunião por vídeo conferência a 9 de Junho, os ministro das Finanças da Zona Euro disponibilizam 100 mil milhões de euros a Espanha para recapitalizar os seus bancos. O pedido de ajuda formal, por parte do Governo de Mariano Rajoy, só foi realizado no início do mês de Dezembro, com o Executivo a solicitar 37 mil milhões de euros para injectar em quatro instituições bancárias.

    

13 de Junho Espanha arrasta Itália para o centro da crise. Depois do pedido de ajuda de Espanha e nas vésperas de novas eleições na Grécia, a crise da dívida atinge a terceira maior economia da Zona Euro. Roma vê os juros exigidos numa emissão de dívida a um ano disparar de 2,34% para 3,972%. Monti admite que o país tem "fragilidades", em particular uma dívida pública muito elevada. E reitera que a "disciplina orçamental" deve ser acompanhada de "medidas de crescimento que não gerem inflação nem défice".  

   

17 de Junho Nova Democracia vence eleições na Grécia. A Grécia vive o segundo acto eleitoral em menos de um mês e meio. Os conservadores do Nova Democracia vencem com 30% dos votos (face aos 18,8% alcançados a 6 de Maio) e têm margem para negociar um governo de coligação com os socialistas do Pasok. Os dois partidos pró-troika, em conjunto com a Esquerda Democrática, formam, em poucos dias, um governo de coligação, liderado por Antonis Samaras, líder do Nova Democracia. "Com a ajuda de Deus, vamos fazer tudo o que esteja nas nossas mãos pelo nosso povo para sairmos da crise", diz Samaras.

 

22 de Junho Cimeira Rio+20 com acordo pouco "ambicioso". A Cimeira Rio+20 assinala os 20 anos da Cimeira da Terra, que teve lugar em 1992, também na “cidade maravilhosa”. Para a história fica um acordo pouco ambicioso e muitas críticas ao texto final. "Sei que muitos Estados esperavam um resultado mais ambicioso, eu também esperava", admite o secretário-geral das Nações Unidas.

 

22 de Junho Europa destina 130 mil milhões para o crescimento. Os líderes das quatro maiores economias da Zona Euro – Alemanha, França, Itália e Espanha – acordam destinar 1% do PIB da região a um programa de estímulo ao crescimento económico.

 

Ao longo dos próximos dias o Negócios vai recordar os momentos mais importantes de cada mês deste ano.

 
Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio