Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Trichet diz economia mundial deverá crescer 4% este ano

A economia mundial deverá crescer 4% ou mais este ano, revelou Jean Claude Trichet, presidente do Banco Central Europeu (BCE), depois da reunião do G-10 sublinhando que alguns dos efeitos negativos da valorização do petróleo «já foram absorvidos».

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 10 de Janeiro de 2005 às 17:39
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A economia mundial deverá crescer 4% ou mais este ano, revelou Jean Claude Trichet, presidente do Banco Central Europeu (BCE), depois da reunião do G-10 sublinhando que alguns dos efeitos negativos da valorização do petróleo «já foram absorvidos».

Segundo o mesmo responsável, citando Rodrigo Rato, presidente do Fundo Monetário Internacional que esteve hoje presente na reunião do G-10, a economia mundial deverá expandir-se 4% este ano ou até um pouco mais do que isso».

Os responsáveis pelos Bancos Centrais do G-10 disseram que estão «confiantes» com a situação do crescimento a nível mundial deste ano e com os comentários do secretário do Tesouro dos EUA, John Snow onde se mostrava preocupado com a desvalorização do dólar.

«As nossas estimativas apontam para uma expansão sustentada do comércio mundial em 2005 e também temos a sensação que grande parte dos efeitos adversos da valorização do petróleo foram, talvez, absorvidos», disse Jean Claude Trichet, acrescentando que as declarações de Snow, a apoiar um dólar forte, foram «muito importantes».

O défice baixo recorde de conta corrente dos EUA ajudou a que o dólar atingisse o valor mínimo histórico frente ao euro no mês passado e aumentou as preocupações com as recuperações económicas do Japão e da Europa dependentes das exportações. Na semana passada, o dólar interrompeu as descidas depois da Reserva Federal ter dito, dia 4 de Janeiro, que as taxas de juro estavam muito baixas para deter a inflação. Paralelamente, Snow, disse dia 7 deste mês que iria «toar mediadas que sustentassem» a moeda norte-americana.

O dólar já valorizou mais de 4% desde que atingiu o valor mínimo dia 30 de Dezembro.

O presidente do BCE referiu ainda que «desequilíbrios como as posições externas» permanecem um risco para a economia mundial mas não repetiu que o facto do euro ter apreciado bastante não é bem-vindo para o BCE.

Almunia estima que economia em 2005 cresça o mesmo ou mais do que no ano anterior

O Comissário para os Assuntos Monetários da União Europeia, Joaquin Alumínia, em entrevista ao jornal espanhol «El Pais», disse esperar que o crescimento económico da Zona Euro em 2005 seja igual ao de 2004 ou mesmo que exceda o registado no ano anterior.

«Em 2005 experimentamos uma recuperação, embora a minha previsão fosse certamente mais forte em Outubro, uma vez que a valorização do petróleo e a valorização do euro prejudicaram desde aí um pouco do meu optimismo.

Em Outubro a Comissão Europeia apontou para um crescimento de 2,1% na Zona Euro em 2004.

«O crescimento económico não é tão alto devido à falta de investimento, de inovação e de reformas estruturais, bem como devido a um excesso de regulamentação e a um nível mínimo de trabalhadores preparados», disse o mesmo responsável.

Ver comentários
Outras Notícias