Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Extrema-direita alemã apresenta queixas-crime contra Merkel

Os procuradores federais alemães receberam centenas de queixas-crime contra a chanceler Angela Merkel, acusando-a de "alta traição" devido à sua política de acolhimento de refugiados, informou hoje uma porta-voz.

Angela Merkel é a Mais Poderosa 2015
A famosa pergunta que terá sido feita por Kissinger passou a ter resposta inequívoca. É a Angela Merkel que se telefona quando se precisa de resolver um problema na Zona Euro, na Europa, e até além dela. O seu poder é mais visível nos momentos difíceis. E é por isso que  regressa ao pódio em 2015. Foi ela que teve na mão a chave de soluções, embora precárias, para dilemas globais: a guerra na Ucrânia, a crise grega e o drama humano dos refugiados e imigrantes.
Lusa 29 de Outubro de 2015 às 20:58
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...

Contactada pela agência noticiosa AFP, a porta-voz, Frauke Koehler, disse que cerca de 400 queixas tinham sido apresentadas contra a líder alemã, que tem assumido uma política de porta aberta para os que fogem da guerra e perseguição.

 

Koehler declinou comentar o conteúdo das queixas, mas o diário Tageszeitung noticiou hoje que Merkel estava a ser alvo de uma campanha organizada por activistas da extrema-direita, críticos da sua política de asilo.

 

Segundo a notícia, muitos das queixas-crime são parecidas e parecem ter sido baseadas num texto tipo fornecido pela revista populista de direita Compact.

 

No texto das queixas, os autores atacam a entrada de refugiados, citando "cenas praticamente apocalípticas (...) que podem provocar a morte da Alemanha dentro de um ano".

 

Especialistas jurídicos consideraram que as queixas não devem desencadear uma investigação criminal, muito menos levar à formulação de acusações contra Merkel, porque a lei estipula que a traição implica "violência ou ameaça de violência".

 

A Alemanha espera receber até um milhão de refugiados este ano. Muitos dos que já chegaram de países em guerra, como a Síria ou o Iraque, mas um número apreciável vem também dos designados Estados seguros, como os dos Balcãs.

 

Merkel tem tentado envolver os alemães na tarefa de bem receber centenas de milhares de pessoas desesperadas que fogem de zonas em conflito.

 

Mas está a deparar-se com contestações internas e a sua taxa de popularidade está a cair.

 

Ver comentários
Saber mais Merkel refugiados Extrema-direita
Outras Notícias