União Europeia António Costa eleito nona personalidade que vai moldar a Europa em 2018

António Costa eleito nona personalidade que vai moldar a Europa em 2018

Numa lista de 28 personalidades que "devem moldar o nosso mundo em 2018", António Costa surge em nono lugar. O ranking de europeus é liderado pelo alemão Christian Lindner, líder dos liberais (FDP).
António Costa eleito nona personalidade que vai  moldar a Europa em 2018
Pedro Elias
Sara Antunes 07 de dezembro de 2017 às 10:27
"António Costa - o esquerdista de sucesso". É assim que o Politico intitula o texto sobre o primeiro-ministro português. A publicação, especilaista em assunstos europeus, elegeu António Costa como o nono europeu que mais influenciará a Europa no próximo ano.

A lista, de 28 personalidades "que muito provavelmente devem moldar o nosso mundo em 2018", é liderada pelo alemão Christian Lindner, líder dos liberais (FDP).

"António Costa é uma coisa rara nos dias de hoje na Europa: um socialista de sucesso", salienta o Politico. "Depois de conduzir o seu partido para uma vitória recorde nas eleições autárquicas em Outubro, o primeiro-ministro portugueses entra no novo ano com a esperança de fazer ainda melhor", diz a mesma publicação.

 

O texto do Politico não ignora as críticas de que António Costa foi alvo, especialmente devido às tragédias provocadas pelos incêndios este ano. Mas realça, citando especialistas, as capacidades políticas do primeiro-ministro.

 

"No próximo ano, Costa vai ter de continuar o seu equilíbrio económico, enfrentando um novo líder da oposição, e desenvolver as suas capacidades políticas para gerir uma relação difícil com os dois partidos à esquerda que lhe dão a maioria governativa. O objectivo é garantir uma maioria absoluta nas próximas eleições legislativas, em 2019", realça a mesma publicação.

A liderar a lista do ranking está o alemão Christian Lindner, líder dos liberais (FDP). "O belicoso líder liberal ocupa um lugar-chave na política da Alemanha: líder de um [partido] conservador, um segmento de eleitorado euro-cauteloso. Ao puxar o tapete nas negociações de coligação em Novembro, Lindner deixou o seu país num tumulto político e assegurou o seu lugar no centro do debate que se segue", sublinha.


Em segundo lugar surge o britânico Michael Gove, "o verdadeiro crente", diz o politico, que realça que "apenas um crente pediria para se tornar ministro do Ambiente e da Agricultura", uma área que deverá ganhar destaque com a saída do Reino Unido da União Europeia.

Em terceiro lugar surge a ministra do Trabalho de França. Muriel Pénicaud é apelidade de "o punho de ferro de Macron".

(Notícia actualizada pela última vez às 11:55)




pub