União Europeia Contas públicas em cima da mesa de almoço entre Costa e Juncker

Contas públicas em cima da mesa de almoço entre Costa e Juncker

O presidente da Comissão Europeia e o primeiro-ministro português encontram-se amanhã, quinta-feira. Entre os tópicos abordados deverão estar as contas portuguesas a possibilidade de saída do Procedimento dos Défices Excessivos.
Contas públicas em cima da mesa de almoço entre Costa e Juncker
Reuters
Nuno Aguiar 04 de janeiro de 2017 às 19:40

Jean-Claude Juncker estará quinta-feira em Portugal para participar no Seminário Diplomático, organizado pelo Governo. Antes, tem encontros marcados com Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa. O controlo orçamental português e os desafios políticos da Europa em 2017 devem estar entre os temas em discussão.

O almoço de trabalho para o qual o primeiro-ministro português convidou Juncker não tem uma agenda definida e a porta-voz da Comissão Europeia referiu apenas ao Negócios que faz parte das "conversas bilaterais regulares que o presidente Juncker tem com chefes de Estado e Governo para discutir temas que estão na agenda da União Europeia".

No entanto, do lado do Executivo português, embora se reconheça que os temas a abordar não foram discutidos, espera-se que haja oportunidade para actualizar o presidente da Comissão sobre a evolução da economia portuguesa, nomeadamente no que diz respeito ao crescimento, défice orçamental e, mais importante, a possível saída de Portugal do Procedimento dos Défices Excessivos, explicou fonte oficial do Governo.

Além disso, antecipa o Governo, deverão ser debatidos temas que estão na agenda europeia, como o Brexit, eleições em França e na Alemanha e refugiados.

Antes do almoço em São Bento, Jean-Claude Juncker será recebido ainda durante a manhã pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Fonte da Presidência disse à TSF que o encontro servirá essencialmente para "apresentação de cumprimentos".

A vinda de Juncker a Portugal está relacionada com a participação no Seminário Diplomático, organizado anualmente pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, onde fará uma intervenção ao início da tarde. O discurso deverá focar-se no papel da UE, desafios que se antecipam para 2017 e anos seguintes, bem como definição das prioridades da Comissão.

O evento, que reúne todos embaixadores portugueses, arrancou esta quarta-feira e teve na sua abertura o comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, que sublinhou a necessidade de Portugal ter um papel central no futuro da Europa. "Portugal pode e deve ter um papel central nas escolhas complexas que a Europa tem de tomar nos próximos tempos", afirmou, citado pela Lusa.

"Com tantos países europeus confrontados com a ameaça de populismo e com tantas lideranças europeias com falta de memória sobre os benefícios do projecto europeu, países como Portugal têm uma obrigação acrescida de defender as conquistas da União Europeia", acrescentou.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI