Função Pública Criação de emprego acelera no Estado com a ajuda das autarquias

Criação de emprego acelera no Estado com a ajuda das autarquias

O emprego público cresceu 1,1% até ao final de Junho, em termos homólogos, a segunda maior taxa da série que começa em 2011. Nas autarquias subiu mais do dobro, a um ritmo recorde.
Criação de emprego acelera no Estado com a ajuda das autarquias
Miguel Baltazar/Negócios
Catarina Almeida Pereira 14 de agosto de 2018 às 13:44

Há quase três anos que o emprego público está a recuperar, invertendo a forte quebra registada durante o programa de ajustamento, mas os dados oficiais publicados esta terça-feira revelam que o crescimento acelerou: a 30 de Junho o emprego público aumentou 1,1% em termos homólogos, o segundo valor mais elevado desde o início da série, que começa em 2011.

A síntese da Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP) que é feita com base na informação enviada pelos serviços, revela que no final de Junho o Estado empregava 675 mil pessoas, mais 7,3 mil do que há um ano.

Na administração local, o crescimento homólogo foi de 2,6%, o mais elevado dos últimos seis anos, pelo menos. Em causa estão mais 2,9 mil funcionários num ano.


Apesar do contributo das autarquias, mais expressivo para o seu peso, o aumento absoluto de funcionários é idêntico nas escolas do ensino básico e secundário (2,8 mil). Os Ministérios do Ensino Superior e Ciência (945) e da Saúde (812) também contribuíram.


Emprego estagna face ao trimestre anterior

Porém, face ao trimestre anterior, o número de funcionários permanenceu quase estável (0,1%). Em Junho, são habitualmente registadas quebras. E se, na comparação em cadeira, o emprego na administração central até caiu, nas autarquias subiu 1,3%.

"Os municípios, com um acréscimo de emprego de 1.200 postos de trabalho, apresentam o maior contributo para esta evolução do emprego no trimestre", refere a DGAEP. 


Uma evolução que a entidade tutelada pelas Finanças atribui ao "processo de regularização extraordinária de vínculos  precários na administração local", à "internalização de trabalhadores de empresas municipais" e à "contratação de trabalhadores para actividades artísticas, desporto e recreativas durante os meses de Verão".

 

O recrutamento de bombeiros pelos municípios e de vigilantes de floresta pelo Ministério da Administração Interna também influenciam a evolução.

Notícia actualizada às 15:10 com mais informação e com a correcção do parágrafo relativo às autarquias, onde o emprego subiu 2,6% em termos homólogos (e não em cadeia, como inicialmente se sugeriu)

 




pub