Justiça Santos Silva diz que provas da Operação Marquês foram obtidas de forma ilegal

Santos Silva diz que provas da Operação Marquês foram obtidas de forma ilegal

No pedido de abertura de instrução, o empresário queixa-se de ter sido investigado, ilegalmente, desde 2005, pede a nulidade da acusação e compara o Ministério Público à PIDE
Santos Silva diz que provas da Operação Marquês foram obtidas de forma ilegal
Mariline Alves/CM
Negócios 07 de setembro de 2018 às 19:42

A defesa de Carlos Santos Silva alega que os indícios que serviram de base à acusação da Operação Marquês foram obtidos de forma ilegal, que o empresário de Leiria esteve a ser investigado clandestinamente desde 2005 e que a equipa formada por inspectores tributários, que coadjuvou o procurador Rosário Teixeira na investigação ao caso não tinha competências para acompanhar o caso.

Num longo requerimento de abertura de instrução, a que a Sábado teve acesso, a defensora de Carlos Santos Silva, Paula Lourenço, defende a inconstitucionalidade de uma série de acções realizadas pelos investigadores.




Saber mais e Alertas
pub