Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Próxima cimeira do Mercosul marcada por pedido de adesão uruguaio a bloco concorrente

Os três países que contestam a intenção do Uruguai alertaram que "se reservam o direito de adotar as eventuais medidas que considerem necessárias para a defesa dos seus interesses nos âmbitos jurídico e comercial", caso o Uruguai prossiga as negociações individuais.

Reuters
Lusa 04 de Dezembro de 2022 às 17:53
Uma cimeira "entretida" do Mercosul é a expectativa do Uruguai, país anfitrião e atual presidente do grupo comercial, para o próximo encontro regional onde o controverso pedido de adesão uruguaio a outro bloco comercial estará em debate.

A XI reunião ordinária do Conselho do Mercado Comum, que decorre entre segunda-feira e terça-feira em Montevideu, capital do Uruguai, já tem confirmadas as presenças dos presidentes da Argentina, Alberto Fernández, do Paraguai, Mario Abdo Bénitex, Uruguai, Luis Lacalle Pou, e do vice-presidente brasileiro Hamilton Mourão, em representação do presidente Jair Bolsonaro.

Prevê-se que a cimeira decorra em torno da recente advertência que Argentina, Brasil e Paraguai fizeram ao Uruguai, depois de se saber que o país solicitou formalmente a adesão ao Tratado Integral e Progressista da Associação Transpacífico (CPTPP), um tratado de livre comércio que une países banhados pelo Oceano Pacífico, e do qual os EUA se retiraram em 2017, sob a administração Trump.

O presidente uruguaio disse esta semana que a referida advertência não vai travar as intenções do seu país de conseguir acordos externos ao bloco Mercosul.

"Vamos fazê-lo, sentimo-nos no nosso pleno direito de o fazer. Não partilhamos a queixa dos três países. [A cimeira] vai estar entretida e vamos falar destes temas, porque temos o direito internacional do nosso lado", indicou o chefe de Estado uruguaio.

Os três países que contestam a intenção do Uruguai alertaram que "se reservam o direito de adotar as eventuais medidas que considerem necessárias para a defesa dos seus interesses nos âmbitos jurídico e comercial", caso o Uruguai prossiga as negociações individuais.

O presidente do Paraguai disse que a intenção do Uruguai de negociar um acordo de livre comércio fora do Mercosul "desvirtua a essência" do bloco sul-americano.

A área de livre comércio à qual o Uruguai pretende aderir tem como membros a Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Japão, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Singapura e Vietname.

A capital uruguaia prepara-se para ser palco de uma cimeira em que tudo parece indicar que o Uruguai vai manter a sua posição a respeito do pedido de adesão ao CPTPP, assim como sobre um possível Tratado de Livre Comércio com a China, que também motivou desavenças entre os membros do Mercosul.

Na segunda-feira prevê-se um arranque de trabalhos com um pequeno-almoço de ministros da Economia dos Estados-membros e da Bolívia.

Segue-se um encontro de ministros dos Negócios Estrangeiros dos Estados-membros, que antecede a reunião entre presidentes agendada para terça-feira.

Ver comentários
Saber mais Mercosul Paraguai Uruguai CPTPP organizações internacionais cimeiras comércio externo
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio