Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Banco de Inglaterra mantém juros devido à persistente baixa inflação

Nas minutas de Outubro, o banco central inglês diz que há margem para manter inalterada a taxa de juro em 0,5% devido à baixa inflação. Apenas um dos nove membros do Comité de Política Monetária votou a favor da subida dos juros.

David Santiago dsantiago@negocios.pt 08 de Outubro de 2015 às 13:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Banco de Inglaterra (BoE, na sigla inglesa) decidiu manter inalterada a taxa de juro directora em 0,5% por considerar haver margem para manter os juros em mínimos históricos devido aos persistentes níveis reduzidos de inflação.

 

Nas minutas relativas à reunião de Outubro da autoridade monetária inglesa, pode ainda ler-se que o banco central inglês acredita que a economia britânica está a mostrar robustez perante a pressão internacional provocada pelos crescentes sinais de abrandamento da economia global. A autoridade monetária antecipa que o produto interno bruto (PIB) do Reino Unido cresça cerca de 0,6% no terceiro trimestre deste ano.  

 

Nestas minutas citadas pela agência Bloomberg, o Comité de Política Monetária do BoE refere ter contraposto os riscos decorrentes do abrandamento da economia mundial, nomeadamente dos países emergentes, com a resiliência demonstrada pelo mercado interno britânico, que vem apresentando um aumento do consumo interno.

 

"Apesar de permanecer o risco de que as perspectivas relativas aos mercados emergentes possa ainda deteriorar-se, têm surgido alguns sinais de um efeito importante decorrente da confiança dos empresários e dos consumidores nas economias avançadas", referem as minutas.

 

Por outro lado, confirma-se também que voltou a haver apenas um membro do Comité de Política Monetária da autoridade monetária a defender uma subida dos juros. Ian McCafferty voltou a apoiar uma subida de 0,25 pontos percentuais, tendo sido derrotado pelo voto dos restantes oito membros que votaram a favor da manutenção da taxa directora em 0,5%.

 

Esta decisão tem essencialmente que ver com aquilo que o BoE considera ser uma taxa de inflação ainda muito baixa. O banco central estima que a inflação permaneça abaixo de 1% pelo menos até à Primavera de 2016. E acredita que a recente valorização registada pela libra nos mercados cambiais pressione o crescimento dos preços no consumidor. Por outro lado, a instituição liderada por Mark Carney considera que os custos unitários do trabalho continuam ainda em níveis demasiado baixos, o que dificulta a subida da inflação para a meta de 2%.

Esta convicção, agora apresentada pelo Banco de Inglaterra, poderá colocar em causa a possibilidade de a autoridade monetária começar a subir os custos do dinheiro já no início de 2016, tal como admitido pelo prórpio Mark Carney em Setembro último

Ver comentários
Saber mais Banco de Inglaterra BoE Comité de Política Monetária Jack Carney Ian McCafferty Política Monetária
Outras Notícias