Política Costa condena aproveitamento político de tragédias

Costa condena aproveitamento político de tragédias

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje "absolutamente lamentável que se tenha quebrado um consenso nacional que sempre existiu" de não haver aproveitamento político de tragédias como as dos incêndios.
Costa condena aproveitamento político de tragédias
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 14 de agosto de 2017 às 21:12

Em declarações aos jornalistas à margem da apresentação do candidato socialista à Câmara de Sesimbra, António Costa escusou-se a comentar as críticas do líder do PSD, Pedro Passos Coelho, sobre a actuação do Estado no combate aos incêndios.

 

"Acho absolutamente lamentável que se tenha quebrado um consenso nacional que sempre existiu, que perante tragédias desta natureza não haja aproveitamentos políticos", condenou.

 

Na opinião do primeiro-ministro, custa muito ver políticos "não resistirem à tentação de fazerem aproveitamento político de dramas desta natureza e perante o esforço enorme que todos os agentes de protecção civil estão a fazer para conter estas situações, em vez de lhes darem uma palavra de alento, de carinho, de ânimo, de agradecimento pelo esforço que estão a fazer, pelo contrário os virem criticar".

 

Para Costa, se há algo é essencial neste momento, "em que as populações estão a sofrer esta ameaça, em que os profissionais e os voluntários que servem a protecção civil têm estado num trabalho incansável ao longo destas semanas", dar-lhes "palavras de alento, de agradecimento e não crítica".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI