Europeias Ferreira Leite recusa "análise catastrófica" a resultados do PSD

Ferreira Leite recusa "análise catastrófica" a resultados do PSD

A antiga presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, desdramatizou hoje o resultado dos sociais-democratas nas eleições europeias, com base na projeções, recusando uma "análise catastrófica".
Ferreira Leite recusa "análise catastrófica" a resultados do PSD
Bruno Simão/Negócios
Lusa 26 de maio de 2019 às 21:42

Num comentário na TVI, Ferreira Leite fez um paralelo entre os resultados de há cinco anos, altura em que o PSD concorreu coligado com o CDS-PP, e disse não fazer "a análise catastrófica" que disse já ter ouvido hoje.

 

"Pode o PSD ficar numa situação semelhante em que esteve nas ultimas eleições europeias, ficando na mesma posição, não me parece que seja um resultado catastrófico", sustentou.

 

"Se pensarmos o que é em 2014 foi a embalagem para as eleições legislativas, esses números, esses resultados nas eleições europeias, conduziram à vitória nas legislativas do PSD e do CDS. Não percebo porque é que, em 2019, os mesmos resultados dão uma catástrofe para o PSD", argumentou.

 

A antiga líder do PSD começou por ressalvar: "Vamos ser objetivos, quem tem mais votos e eleger mais deputados, com certeza que é o vencedor, e tudo indica que seja o PS, e não deixo de cumprimentar quem venceu as eleições".

 

Ferreira Leite defendeu ainda que, "quem está no Governo também tem a vantagem de tomar medidas populares, umas atrás das outras, mesmo que esses resultados possam ter consequências negativas para o país".

 

Nas eleições de 2014, o PS obteve 31,46 % dos votos e elegeu oito eurodeputados, a coligação PSD/CDS-PP obteve 27,71% e elegeu sete eurodeputados, a CDU elegeu três eurodeputados com 12,68% dos votos, o MPT elegeu um eurodeputado, com 7,14% dos votos, e o BE obteve também um mandato, com 4,56% da votação.

 

De acordo com as sondagens avançadas pelas televisões às 20:00, o PS venceu as eleições para o Parlamento Europeu com 30% a 34% dos votos, obtendo oito a nove mandatos.

 

De acordo com a sondagem da RTP/Universidade Católica, o PAN será a novidade no Parlamento Europeu ao eleger pela primeira vez um deputado, com 4% a 6% dos votos.

 

O segundo partido mais votado foi o PSD, com 20% a 24% dos votos e a eleição de cinco a seis eurodeputados. A mesma sondagem indica que o BE é o terceiro partido, com 9% a 12% dos votos e a eleição de dois a três eurodeputados.

 

As projeções avançadas pela SIC, realizadas pela ICS/ISCTE/GFK/Metris, confirmam o PS a vencer as eleições europeias, com percentagens entre 30,9% a 34,9% e a eleição de entre oito a nove eurodeputados.

 

O PSD surge com 21,8% a 25,8%, podendo eleger entre seis e sete deputados e o BE foi a terceira força política mais votada, com 8,5% a 11,5%, elegendo entre dois a três eurodeputados.

 

Segundo uma sondagem da Aximage divulgada pela CMTV, o PS venceu as eleições com um resultado entre 31,4% e 33,4% dos votos, elegendo oito ou nove eurodeputados, seguindo-se o PSD, com entre 23,1% e 27,1% e entre seis e sete eurodeputados.

 




Marketing Automation certified by E-GOI