Banca & Finanças França quer sancionar UBS em 3,7 mil milhões por promover fraude fiscal

França quer sancionar UBS em 3,7 mil milhões por promover fraude fiscal

O banco suíço UBS é acusado de facilitar a fuga ao fisco francês e de aliciar clientes nesse sentido, pelo que a justiça avança uma multa de quase 4 mil milhões de euros. A instituição nega e vai recorrer da decisão.
França quer sancionar UBS em 3,7 mil milhões por promover fraude fiscal
Reuters
Negócios 20 de fevereiro de 2019 às 15:40

O suíço UBS foi condenado a pagar 3,7 mil milhões de euros por um tribunal parisiense que considerou esta instituição culpada de angariar clientes franceses e ajudá-los a branquear capitais decorrentes de fuga fiscal. O UBS nega e vai recorrer.

"Esta decisão é incompreensível. Vamos recorrer", declarou o membro do conselho geral do banco, Marus Diethelm, à imprensa, acrescentando: "não vimos factos ou provas".

Além da multa interposta pelo tribunal parisiense, também o Estado francês já acusou o mesmo banco de danos, pelos quais exige uma compensação de 1,6 mil milhões de euros. Somadas as quantias requeridas pelas autoridades francesas, o valor ultrapassa o dos lucros declarados pela instituição suíça no total de 2018, os quais ascenderam aos 4,3 mil milhões de euros.

Os títulos do UBS sofrem quebras em bolsa, descendo na ordem dos 2,84% para os 12,48 francos suíços, tendo já deslizado 4,75% para 12,235 francos – um mínimo de 3 de janeiro.

As acusações de que o UBS é alvo em França são semelhantes àquelas já enfrentadas pelo banco noutros países. Nos Estados Unidos, o UBS aceitou fechar o caso com o pagamento de 780 milhões de dólares em 2009 e, na Alemanha, o cheque de 300 milhões foi passado em 2014. O valor da coima sugerida pelos franceses parece elevado tendo em conta a norma europeia, mas nos Estados Unidos, por exemplo, o BNP Paribas já foi obrigado a pagar 8,9 mil milhões de dólares por violar sanções económicas contra Cuba, o Sudão e o Irão.  




pub

Marketing Automation certified by E-GOI