Comércio BPI: Regresso de Jerónimo Martins às vendas digitais em Portugal é teste para Polónia

BPI: Regresso de Jerónimo Martins às vendas digitais em Portugal é teste para Polónia

A reentrada no comércio digital português "é um passo inevitável para a Jerónimo Martins", segundo o BPI Equity Research. Mas a Polónia é a movimentação decisiva.
BPI: Regresso de Jerónimo Martins às vendas digitais em Portugal é teste para Polónia
Diogo Cavaleiro 03 de abril de 2018 às 13:33

A Jerónimo Martins vai regressar ao comércio electrónico em localidades portuguesas, segmento que a concorrente Sonae controla. O passo será um teste para as vendas digitais na Polónia, segundo opina a casa de investimento do BPI.

 

"Vemos esta movimentação em Portugal como o ponto de partida para uma futura operação na Polónia", segundo a equipa de "research" liderada por José Rito. "O passo relevante para a Jerónimo Martins, em termos de oferta online, será quando decidir iniciar uma operação digital na Polónia", continua.

É no mercado polaco que está instalada a Biedronka, a marca que mais contribui para os resultados operacionais da Jerónimo, o que se voltou a repetir em 2017.

Como revela o Negócios, a Jerónimo Martins integrou, através do Pingo Doce, o Mercadão, uma espécie de centro comercial online, onde se encontram outras empresas, como a Arcádia e a Science 4you. A comercialização está disponível actualmente apenas em Lisboa, Sintra, Porto e Matosinhos, com expansão prevista para Algarve e litoral até ao final do ano.

 

"Este é um passo inevitável para a Jerónimo Martins, considerando que o online é o mais rápido canal de mudança no país (e na Europa), apesar da penetração limitada em Portugal", escreve o BPI Equity Research, que revela que a Sonae detém, no mercado nacional, 70% de quota.

 

De qualquer forma, para a Sonae, o "impacto deverá ser limitado, tendo em conta a dimensão do negócio (menos de 2% das vendas)".

 

A Jerónimo Martins, liderada por Pedro Soares dos Santos, está esta terça-feira a cair 0,51% para 14,73 euros, enquanto a Sonae SGPS segue a descer 0,37% para 1,091 euros. O índice de referência da bolsa nacional, o PSI-20, cede 0,45%.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




Marketing Automation certified by E-GOI