Comércio Jerónimo Martins faz mais-valia com venda de área industrial

Jerónimo Martins faz mais-valia com venda de área industrial

O grupo dono da Biedronka e Pingo Doce alienou a participação na aliança que detinha com a Unilever aos seus principais accionistas, por 310 milhões de euros.
Jerónimo Martins faz mais-valia com venda de área industrial
Isabel Aveiro 30 de setembro de 2016 às 17:16

O grupo Jerónimo Martins realizou uma mais-valia de 75 milhões com a venda da sua participada a 100% Monterroio – Industry & Investmets BV, cuja venda foi formalizada esta sexta-feira, 30 de Setembro. 

Em comunicado emitido ao mercado, a SGPS liderada por Pedro Soares dos Santos informa que, em consequência da decisão tomada pela administração, a 27 de Julho, "celebrou hoje [sexta-feira, 30 de Setembro] a escritura de venda de 100% do capital da sua subsidiária Monterroio – Industry & Investments BV à Sociedade Francisco Manuel dos Santos BV".


A Sociedade Francisco Manuel dos Santos BV (SFMS), que na sua maioria é detida pela família Soares dos Santos, controla 56,1% do capital da cotada Jerónimo Martins SGPS.

No comunicado disponibilizado esta sexta-feira no "site" da CMVM, a administração da companhia adianta ainda que "a conclusão da transacção implicou o recebimento imediato", pela JM SGPS, "do montante total de 310 milhões de euros, gerando, nas suas demonstrações financeiras, uma mais-valia estimada de 75 milhões de euros".

A Monterroio, assim como outras três "sub-holdings" que agregam outras participadas da JM SGPS (a Tagus, a Warta, e a New World Investments), foi criada em 2011 com sede na Holanda, quando a JM decidiu reagrupar as suas participações em Portugal, Polónia e em novos mercados.

A Monterroio agrega 45% da JM na "joint -venture" Unilever Jerónimo Martins (cujas origens remontam a 1949, com uma fábrica em Santa Iria da Azóia); igual percentagem na Gallo Worldwide (também detida em 55% pela anglo-holandesa Unilever); 51% da Hussel Ibéria (com 27 lojas, detida em 49% pelos alemães da Douglas); 27,5% da parceria com o grupo espanhol de perfumes Puig; 100% da JMD – Distribuição de Produtos de Consumo (que representa marcas como Heinz, Lindt ou Evian) e 100% da JM – Restauração e Serviços (18 cafeterias Jeronymo e 30 geladarias Olá.

Com a alienação, pelo valor que já tinha avançado a 27 de Julho, a JM passa a ser, essencialmente, um grupo de distribuição e agricultura e pescas, uma vez que além das redes retalhistas e grossistas polaca Biedronka, portuguesas Pingo Doce e Recheio e colombiana Ara, o grupo detém ainda criação de gado bovino (Best Farmers), aquacultura (Marisland) e a fábrica, em Portalegre, da marca de leite e lacticínios Serraleite.

A participação na indústria alimentar e nos azeites (com mais de 60 anos), na representação de marcas e serviços e na restauração passam agora a ser detidos, directamente, pelo accionista de controlo, a Sociedade Francisco Manuel dos Santos – que é dona ainda da empresa gestora do Oceanário de Lisboa – com sede na Holanda.


(Notícia actualizada às 17:30 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI