Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sector da construção atenua queda em 2015

A actividade do sector continua em queda, mas menos evidente do que a verificada em 2014. A área das remunerações evidenciou-se ao longo dos últimos três meses com variações positivas.

Krisztian Bocsi / Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes paulozgomes@negocios.pt 11 de Fevereiro de 2016 às 11:37
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O índice de produção na construção fechou o ano passado com uma queda menos pronunciada do que a de 2014, recuando 2,5% face a uma redução de 8,9% um ano antes, anunciou esta quinta-feira 11 de Fevereiro o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com aquele organismo, tanto os segmentos de engenharia civil como de construção de edifícios continuaram a apresentar desempenhos negativos, mas menos do que no ano anterior. Os dois segmentos fecharam o ano de 2015 com quedas de 2,3% e 2,6%, respectivamente, face a reduções de 10,2% e 7,9% um ano antes.


Também o emprego e as remunerações no sector continuam em queda, mas menos acelerada do que em 2014. No caso do mercado de trabalho, o ano passado fechou com um recuo de 3,2% (face a -6,7% um ano antes) enquanto os vencimentos do sector recuaram 3,6% (contra -4,2% em 2014).


A variável das remunerações é porém a única, entre as consideradas, a registar um comportamento positivo nas comparações em relação ao mês anterior. Dezembro, com um ganho de 6,6%, foi o terceiro mês consecutivo de crescimento em cadeia para os vencimentos. O índice de remunerações passou assim de 58,7 para 62,6.

Já esta semana o INE tinha anunciado que no ano passado os custos de construção de habitação nova cresceram 0,3%, uma desaceleração em relação à subida de 0,5% registada em 2104.

No início do mês a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) reportou um aumento de 29,9% no nível de actividade do mercado da reabilitação urbana em 2015 e estimou um recuo de 22% nas obras públicas em 2015, no que considerava ter sido o pior ano desde a entrada da "troika".

Ver comentários
Saber mais Instituto Nacional de Estatística INE AICCOPN construção civil macroeconomia
Mais lidas
Outras Notícias