Empresas Lucros da Sonae Sierra caem 39% em 2017

Lucros da Sonae Sierra caem 39% em 2017

A Sonae Sierra fechou o ano passado com lucros de 110 milhões de euros, uma queda de 39% face a 2916.
Lucros da Sonae Sierra caem 39% em 2017
Paulo Duarte/Negócios
Carla Pedro 13 de março de 2018 às 19:39

A Sonae Sierra registou lucros de 110 milhões de euros em 2017, uma queda de 39% face aos 181,2 milhões do ano precedente, informou a empresa no comunicado dos resultados divulgado junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

A empresa liderada por Fernando Guedes de Oliveira (na foto) justifica este decréscimo com o "menor valor criado nas propriedades de investimento".

O resultado indirecto ascendeu a 45 milhões de euros, o que correspondeu a uma redução de 79 milhões de euros face ao ano anterior, "devido sobretudo à diminuição do valor criado nas propriedades de investimento (menor compressão das taxas de capitalização em Portugal e Espanha em 2017) e à diminuição dos ganhos realizados com vendas de propriedades". Além disso, sublinha, "o exercício de 2016 beneficiou com o impacto favorável da abertura do ParkLake, em Bucareste, na Roménia".

 

Por seu lado, o resultado direto foi de 65 milhões de euros, um crescimento de 14% face a 2016. "Este valor reflecte um maior EBIT em todo o portefólio da Sonae Sierra na Europa e no Brasil e um aumento do volume de negócios e margens na atividade de prestação de serviços", sublinha a empresa.

 

Já o EBIT atingiu os 105 milhões de euros, um aumento de 8,5% em relação ao ano anterior.

A Sonae Sierra, que centra a sua actividade essencialmente no mercado imobiliário de retalho, refere ainda que "em termos operacionais, as vendas dos lojistas registaram um crescimento de 7,8% em todo o portefólio europeu, em comparação com 2016, destacando-se um crescimento significativo na Roménia devido à abertura do ParkLake".

 

"Em Portugal e em Espanha as vendas dos lojistas cresceram 5,6% e 10,8%, respectivamente, reflectindo uma contínua recuperação económica. Esta tendência positiva foi sentida principalmente no portefólio português, onde as vendas dos lojistas aumentaram 5,6%, em termos comparáveis, bastante acima do índice de vendas de retalho do país para 2017 de 4,6%", salienta.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 14.03.2018

Gralha: 2916

SONAES TODAS UM CANCRO 13.03.2018

TODAS DÃO PREJUIZOS, MENOS A SONAE, MESMO ASSIM ACHO DUVIDOSO,

Saber mais e Alertas
pub