Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros da Sonae caem 67,3% nos primeiros nove meses do ano

O resultado líquido da Sonae foi de 53 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, o que corresponde a uma queda de 67,3% face aos 162 milhões de euros registados no mesmo período de 2007, anunciou em comunicado à CMVM a empresa liderada por Paulo Azevedo.

Carla Pedro cpedro@negocios.pt 13 de Novembro de 2008 às 19:56
  • Partilhar artigo
  • 9
  • ...
O resultado líquido da Sonae foi de 53 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, o que corresponde a uma queda de 67,3% face aos 162 milhões de euros registados no mesmo período de 2007, anunciou em comunicado à CMVM a empresa liderada por Paulo Azevedo.

Os lucros foram sobretudo afectados pela deterioração dos resultados financeiros do período e pelo acréscimo de custos relativos a depreciações e amortizações, o último explicado pela maior extensão da rede de lojas da unidade de retalho e da rede de comunicações móvel e fixa da unidade de telecomunicações, explica a empresa liderada por Paulo Azevedo.

O volume de negócios consolidado aumentou 22,3% em termos homólogos, de 3.134 para 3.833 milhões de euros. Todas as empresas apresentaram crescimentos de dois dígitos no período em análise: o negócio de retalho aumentou em 25,1% a sua contribuição para o volume de negócios consolidado, o negócio de telecomunicações apresentou um aumento de 12% e o negócio dos centros comerciais aumentou em 18,6% o seu contributo, refere o comunicado.

O EBITDA total ascendeu a 368 milhões de euros nos primeiros nove meses deste ano, 24,3% abaixo do registado no mesmo período de 2007. “Este decréscimo é essencialmente explicado por um menor valor criado em propriedades de investimento, sem consequentes impactos de tesouraria, no negócio de centros comerciais, entre períodos homólogos (-43 milhões de euros face a +120 milhões de euros)”, sublinha o comunicado.

O Capex (investimento operacional) atingiu 604 milhões de euros, o que representa um aumento de 20 milhões de euros face aos primeiros nove meses do ano passado, correspondendo a 15,7% do volume de negócios. Este incremento resulta do investimento contínuo dos vários negócios do Grupo, visando o crescimento, salienta a Sonae.

A dívida líquida consolidada diminuiu do seu pico registado no final do primeiro semestre do ano, para 3.107 milhões de euros no final dos primeiros nove meses. Face ao final de 2007, a dívida aumentou 581 milhões de euros.

Tendo por base os múltiplos de mercado, o valor líquido dos activos do grupo Sonae no final dos primeiros nove meses do ano era de aproximadamente 2.098 milhões de euros, representando 1,05 euros por acção, tendo um prémio subjacente de 96% sobre o preço de fecho da Sonae a 30 de Setembro de 2008 de 0,53 euros por acção, realça a empresa.

“Quando comparado com o final do ano de 2007, a estimativa do valor líquido dos activos do grupo com base nos múltiplos de mercado reduziu-se cerca de 29,4%, sendo em grande parte devido a uma diminuição de 20,2% na valorização do negócio de retalho e de uma redução de 50% na capitalização bolsista da Sonaecom”, refere ainda o comunicado da empresa liderada por Paulo Azevedo.

Em termos de desenvolvimentos corporativos, a Sonae adquiriu, através de subsidiária detida integralmente, 1,9 milhões de acções da Sonaecom, a um preço médio de 1,85 euros por acção. Com esta aquisição, a empresa passou a deter uma participação de 53,6% na Sonaecom no final dos primeiros nove meses de 2008.

Ver comentários
Outras Notícias