Justiça McKinsey alvo de inquérito criminal por conduta em casos de falência

McKinsey alvo de inquérito criminal por conduta em casos de falência

Promotores públicos e outros responsáveis do Departamento norte-americano da Justiça estão a avaliar o comportamento da empresa de consultadoria em pelo menos dois casos de falência.
McKinsey alvo de inquérito criminal por conduta em casos de falência
Negócios 09 de novembro de 2019 às 17:01

A McKinsey & Company, consultora norte-americana que faz assessoria a algumas das maiores instituições mundiais, enfrenta um inquérito criminal, a nível federal, pela sua conduta no aconselhamento a empresas em processo de falência, de acordo com as informações avançadas ao The New York Times por cinco fontes próximas dos processos.

 

Promotores públicos e outros responsáveis do Departamento norte-americano da Justiça em Nova Iorque e Washington estão a tentar determinar se a McKinsey usou da sua influência sobre empresas insolventes, em violação das normas do capítulo 11 da lei de falências dos EUA – em que milhares de milhões de dólares mudaram de mãos –, ao encaminhar para si própria ativos de valor ou ao favorecer os seus próprios clientes em detrimento de outros credores dessas empresas, sublinha o NYT.

 

Gary Pinkus, presidente da unidade da América do Norte da McKinsey, declarou que a firma foi notificada pela Procuradoria de Manhattan, no ano passado, sobre um inquérito de que estaria a ser alvo, ao qual respondeu. "Desde então, não recebemos qualquer outro pedido da Procuradoria", afirmou.

 

Nas últimas duas semanas, os investigadores têm levado a cabo inquirições sobre a atuação da McKinsey em pelo menos dois casos de falência – a Alpha Natural Resources, produtora de carvão, e a SunEdison, empresa de energias alternativas – disse ao NYT uma das fontes, que foi questionada por agentes do FBI.

 

Os juízes encarregados de supervisionar estes dois casos já sugeriram que as questões quanto à conduta da McKinsey deveriam ser resolvidas pelo Departamento da Justiça – através de ações cíveis ou processos criminais.

 

Além da referida investigação criminal, está também a ser conduzida uma investigação pelo Gabinete de Supervisão de Falências dos EUA, uma unidade do Departamento da Justiça que avalia a conduta das empresas no sistema de insolvências.

 

Esse mesmo gabinete, que pode recomendar ações criminais aos promotores públicos, comunicou aos juízes de pelo menos mais três outros casos de falência que está a analisar as práticas da McKinsey – tendo a consultora dito que já respondeu às questões daquela unidade do Departamento de Justiça.

 

Nenhuma das investigações resultará necessariamente num processo em tribunal contra a McKinsey ou os seus executivos. Mas, em caso de ser intentada uma ação criminal, isso será um duro golpe para a reputação da consultora, frisa o The New York Times.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI