Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Franceses da Voltalia negoceiam compra da Martifer Solar por 9 milhões

A companhia francesa de energia renovável estão a negociar em exclusivo a compra da Martifer Solar com os dois principais accionistas: o grupo Martifer e a HSF. O negócio poderá ficar concluído no terceiro trimestre.

André Cabrita-Mendes andremendes@negocios.pt 21 de Junho de 2016 às 13:49
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...
Os franceses da Voltalia estão interessados na Martifer Solar. As conversações estão actualmente a decorrer e o negócio deverá ficar fechado por nove milhões de euros.

Neste momento estão a ter lugar as negociações em exclusivo entre a Voltalia e os dois principais accionistas: a Martifer dos irmãos Carlos e Jorge Martins (55%) e a HSF (45%), sociedade detida em parte pelo fundador e presidente da Martifer Solar, Henrique Rodrigues (na foto).

A compra da Martifer Solar poderá ficar fechada no terceiro trimestre deste ano, estando o negócio dependente da venda dos activos norte-americanos.

"Esta operação é uma grande oportunidade para acelerar a energia solar, para expandir a nossa presença em novos mercados e para alargar o nosso conhecimento no fornecimento de serviços para terceiros", disse em comunicado o presidente executivo da Voltalia, Sébastien Clerc.

A Voltalia é produtora de electricidade renovável, mas também constrói e opera centrais eólicas, solares, hídricas e de biomassa. Conta actualmente com 376 megawatts (MW) de capacidade instalada em França, Brasil, Grécia, Marrocos e Guiana Francesa.

Deste negócio pode nascer um grupo que opera mais de 1 gigawatts de energia. A Martifer Solar já implementou 757 MW de capacidade em 20 países e além de contruir as centrais, a companhia também gere estes projectos para os seus clientes, sendo actualmente responsável por gerir 585 MW.

Ambas as empresas constroem centrais solares, mas ao contrário da Martifer Solar, a Voltalia detém diversas centrais, estando também presente no negócio de produção de electricidade. A mais valia da Martifer Solar para a Voltalia é a sua experiência na gestão de centrais para terceiros.

"A equipa da Martifer Solar e eu estamos desejosos para nos juntarmos à Voltalia. Em dez anos transformámos a Martifer Solar num actor global da indústria solar. Vamos continuar a fomentar este espírito empresarial que temos em comum com a Voltalia", disse em comunicado o director executivo da companhia portuguesa, Henrique Rodrigues.

A Martifer Solar fechou 2015 com um prejuízo de 2,2 milhões de euros, tendo gerado receitas de 142 milhões e lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) de 3,6 milhões. 

A Martifer Solar registava no final de 2015 uma dívida líquida de 49 milhões de euros, menos nove milhões face a 2014. A maioria dos proveitos operacionais da empresa têm origem na Jordânia (53%), onde desenvolveu quatro centrais solares com um total de 57 MW. Segue-se o Reino Unido (19%), Portugal (9%), Itália (8%), vários países da União Europeia (6%) e América Latina (5%).

Ainda recentemente, a Martifer Solar integrou uma missão empresarial a Marrocos, com vista a estudar oportunidades na energia solar no país magrebino.

As acções da Martifer avançam 12,23% para 0,211 euros.
Ver comentários
Saber mais Martifer Solar grupo Martifer Carlos Martins Estados Unidos voltalia renováveis energia franceses energia solar frança Sébastien Clerc Henrique Gomes energia
Mais lidas
Outras Notícias