Energia Petrobras reduz prejuízos para 4,4 mil milhões de euros

Petrobras reduz prejuízos para 4,4 mil milhões de euros

A Petrobras terminou o ano passado com um prejuízo inferior a 15 mil milhões de reais. A empresa realça a previsão de assinatura de uma parceria estratégica com a Galp este ano.
Petrobras reduz prejuízos para 4,4 mil milhões de euros
Reuters
Sara Antunes 22 de março de 2017 às 00:00

A Petrobras fechou 2016 com um prejuízo de 14,8 mil milhões de reais (4,4 mil milhões de euros), o que compara com os prejuízos de 34,8 milhões de reais registados no ano anterior, revela a empresa num comunicado emitido esta terça-feira, 21 de Março, para o mercado.

Isolando o último trimestre do ano, a empresa regressou aos lucros, tendo registado um resultado líquido de 2,5 mil milhões de reais.

 

O volume de negócios da petrolífera brasileira diminuiu 12% para 282,59 mil milhões de reais. Nos últimos três meses de 2016, as receitas foram de 70,5 mil milhões de reais, ficando aquém das estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg, que apontavam para um valor médio de 73,5 mil milhões.

 

Já o EBITDA ajustado de 2016 melhorou em 16% para 88,7 mil milhões de reais, tendo no último trimestre sido de 24,8 mil milhões, superando as previsões dos analistas que apontavam para 21,5 mil milhões.

 

Na apresentação de resultados, a Petrobras revela o seu plano de investimentos, desinvestimentos e parcerias, referindo a Galp. A única informação disponível é que a Petrobras prevê assinar uma parceria estratégica com a Galp ainda este ano, não sendo revelados mais pormenores.

 

Já no dia início de Março, o presidente executivo da Petrobras, Pedro Parente, revelou, em entrevista ao Les Echos, que um dos focos estratégicos da petrolífera brasileira para os próximos anos assenta nas parcerias, tendo reconhecido, na altura, que estava a negociar com várias empresas, incluindo a portuguesa Galp.

 

"Estamos em discussões com várias grandes empresas, incluindo a norueguesa Statoil e a portuguesa Galp. A Statoil tem uma vasta experiência em melhorar as taxas de recuperação de petróleo em campos maduros", afirmou o CEO da petrolífera, em entrevista ao jornal francês, em Março.

Em Outubro do ano passado, a Petrobras e a Galp anunciaram a assinatura de um memorando de entendimento com o objectivo de "fortalecer as actividades de exploração, desenvolvimento e produção" e consolidar a aliança estratégica entre as companhias.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI