Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Altri emite 50 milhões em obrigações verdes para financiar central de biomassa

A emissão é lançada em conjunto com o BPI e será a primeira admitida à negociação em Portugal.  

Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 26 de Fevereiro de 2019 às 16:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...

A Altri anunciou hoje o lançamento de uma emissão obrigacionista de 50 milhões de euros, que tem como objetivo financiar a construção de uma nova central termoelétrica a biomassa na Figueira da Foz.

 

Em comunicado, a empresa co-liderada por Paulo Fernandes (que é também CEO da Cofina, proprietária do Negócios) refere que a emissão foi lançada pela sua participada Sociedade Bioelétrica do Mondego (SBM) e foi integralmente organizada, montada e subscrita pelo BPI.

 

Segundo a mesma fonte, esta emissão de obrigações verdes (exclusivas para financiar projetos "amigos" do ambiente) será a primeira admitida à negociação em Portugal no mercado não regulamentado Euronext Access Lisbon.

Os títulos emitidos pela Altri têm uma maturidade de 10 anos e pagam uma taxa de cupão de 1,9%.

A EDP, em outubro do ano passado, emitiu 600 milhões de euros em obrigações verdes com um prazo de sete anos, que foram colocadas no mercado internacional. A taxa de juro ficou em 1,959%.

A Altri refere em comunicado que "este investimento da SBM contribuirá para a diversificação das fontes energéticas do Grupo Altri e insere-se na estratégia definida para a política energética nacional, através da construção de uma central de produção de eletricidade a partir de fontes não convencionais".

 

Esta central tem uma potência térmica de 135 MWt, à qual corresponde a produção líquida de eletricidade de 34,5 MWe para venda à rede do Sistema Elétrico Público (SEP).

 

Acrescenta que a "central a biomassa irá contribuir para a prossecução de uma política estruturante no campo energético, que permitirá diminuir a dependência externa e o efeito de estufa resultante da utilização de combustíveis fósseis".

 

"A utilização de biomassa florestal, por outro lado, além de contribuir para a criação de emprego e para o ordenamento da floresta, permite reduzir os riscos de incêndio, promovendo um ambiente de produção de energia limpa e renovável, reforçando assim o compromisso de sustentabilidade do Grupo Altri", diz a empresa.

A Altri anunciou no ano passado que chegou a acordo com a EDP para comprar os 50% que a elétrica detém na EDP Bioeléctrica por 55 milhões de euros, passando desta forma a controlar a totalidade do capital desta empresa de centrais de biomassa que terá uma capacidade instalada acima de 100 MW no primeiro semestre do próximo ano.

A EDP Bioeléctrica tem atualmente quatro centrais de biomassa, que estão localizadas junto a outras infra-estruturas da EDP e da Altri, prevendo finalizar a construção da quinta unidade no primeiro semestre de 2019, altura em que terá uma capacidade instalada de 100 MW. 

Além da biomassa, a Altri detém três fábricas de pasta em Portugal, com uma capacidade instalada superior a 1 milhão de toneladas por ano. Tem sob intervenção uma área de 81 mil hectares de floresta em Portugal.

Ver comentários
Saber mais obrigações verdes Altri Cofina Figueira da Foz Paulo Fernandes Sociedade Bioelétrica do Mondego
Mais lidas
Outras Notícias