Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cão Menor - Gerir a imaginação

Manuel Andrade arriscou. Em 2006, lançou duas editoras e hoje edita livros, filmes, promove eventos e até tem um gabinete de design. Criatividade não falta ao responsável pelo Escritaria

Ana Pimentel 22 de Julho de 2010 às 14:48
Manuel Andrade era demasiado criativo, imaginativo e "adivinho" para continuar a trabalhar por conta de outrem. Por isso, em Setembro de 2006 lançou duas editoras de uma vez só: a Editorial Novembro e a Edições Cão Menor. Antes, já tinha trabalhado 10 anos no sector automóvel, quatro anos em psicologia clínica e editado três livros. "Senti que era chegada a minha hora", explicou.

O mundo da literatura sempre o fascinou. O bacharelato em Gestão de Marketing e a licenciatura em Psicologia só vieram contribuir para que levasse avante os seus planos. Foi assim que conseguiu criar duas marcas distintas e abraçar dois conceitos editoriais diferentes. Enquanto a Editorial Novembro é mais generalista e engloba vários géneros literários, a Edições Cão Menor é uma editora de nicho. Dedica-se ao ensaio, às artes, ao livro de viagem e aos eventos nas áreas da literatura, artes, música ou arquitectura. Sim, porque as editoras de Manuel Andrade também organizam eventos e editam filmes, o seu "produto - bebé". Mais: nesta organização multifacetada há também um gabinete de design (Design Novembro), que foi responsável pelo novo logótipo da AGROS.

Cultura da imaginação
O Escritaria foi o primeiro festival multidisciplinar com a marca Cão Menor. Foi lá que Saramago lançou o seu último livro, Caim, em Outubro de 2009, um ano depois de Urbano Tavares Rodrigues ter visto a sua obra partilhada na primeira edição do evento. Como conseguiu convencer tais nomes da literatura portuguesa a participarem? "Talvez pela diferença do evento", explica. "Hoje não temos qualquer dúvida de que este é o mais vasto evento multidisciplinar que se organiza em torno da obra de um escritor, para a estudar e fruir", acrescenta.

O Escritaria é organizado em parceria com a Câmara Municipal de Penafiel e conta com um ciclo de conferências, arte de rua, projecção de filmes, apresentação de livros, peças de teatro, entre outras actividades. A cidade torna-se, durante uma semana, na "casa" do escritor. "Só na arte de rua, chegam a haver 13 iniciativas distintas, definidas por António Castanheira e Rui Martins", comenta Manuel Andrade.

Depois de inovar na área da literatura, em 2009, Manuel Andrade resolveu inovar na arte. O Plast&Cine foi o segundo encontro multidisciplinar de artes organizado pela editora, desta vez em parceria com a Câmara Municipal de Lamego. A primeira edição do evento girou em torno da vida e obra da artista plástica Emília Nadal e reuniu nomes como o de Eduardo Lourenço, Bernardo Pinto de Almeida, Francisco Laranjo, entre outros. "O Presidente da Câmara rapidamente percebeu o potencial deste evento, bastante distinto do Escritaria. Aliás, não há um evento que se repita", diz o editor. Este ano, o homenageado será José Rodrigues.

Quando o Negócios falou com o psicólogo/escritor/editor, este preparava-se para lançar mais um festival, o Concelho de Estado, em homenagem a Mário Soares. O evento, cujo ponto alto aconteceu na última semana de Junho, decorre ainda, em Arcos de Valdevez, através de uma exposição antológica da vida e obra do antigo Presidente da República.

Além do mercado nacional, as editoras de Manuel Andrade também distribuem para o Brasil e estão a tentar o mercado espanhol. "Tudo isto, sem termos grandes contactos em Portugal e tendo começado há apenas três anos", comenta. O negócio tem crescido de forma segura, mas esse crescimento ainda não se reflectiu nos lucros. "Esta é uma área bastante complexa e onde só os apaixonados arriscam. Talvez agora, que alguns patrocinadores começam a perceber o potencial de associarem as suas marcas aos nossos eventos, possa vir a ser uma área de negócio relativamente interessante", adianta. E dá um exemplo: está em vias de trazer Clint Eastwood a Portugal, para ser homenageado e ainda nenhuma marca se ofereceu para apoiar o evento. Mas não desiste. "Continuarei a ter uma gestão de empresário criativo na cultura da imaginação."



Bilhete de identidade



Nome Editorial Novembro e Edições Cão Menor
Sede Penafiel
Sector de actividade Edição de livros, filmes e organização de eventos.
Início de actividade Setembro de 2006
Número de colaboradores 6
Investimento inicial 40 mil euros
Site www.novembro.pt e www.caomenor.pt



Ler, ver e ouvir



Mais do que editar obras literárias, a Cão Menor realiza três festivais multidisciplinares. Conheça-os.

Escritaria
"Escritaria: s. f. (De escrito+-aria).
1. Conjunto de gritos provocados pela vida e obra de um escritor; 2. Alarido infernal com palavras de ressonância literária; 3. Berreiro danado pelas ruas de Penafiel, convocando leitores compulsivos e seduzindo leitores ocasionais."
José Saramago foi o autor em destaque na segunda edição do único festival multidisciplinar de estudo, partilha e fruição da obra de um escritor português. Foi aí que, em 2009, o Prémio Nobel lançou a sua última obra, Caim. Em 2008, o Escritaria girou em torno de Urbano Tavares Rodrigues.

Plast&Cine
É um encontro multidisciplinar de artes em torno da vida e obra de um artista plástico. Em 2009, a primeira edição do festival, girou em redor de Emília Nadal e reuniu personalidades como o ensaísta Eduardo Lourenço, o poeta e critico de arte Bernardo Pinto de Almeida, o pintor Francisco Laranjo, a curadora e crítica de arte Isabel Carlos, a poetisa e jornalista cultural Ana Marques Gastão, entre outros.

Concelho de Estado
A primeira edição do festival, em Arcos de Valdevez homenageou Mário Soares e integrou exposições, arte de rua, teatro, edição de um livro, entre outras iniciativas. A vida política de Mário Soares foi debatida por Miguel Veiga, Almeida Santos, Sobrinho Simões, Freitas do Amaral, Artur Santos Silva e José Sócrates , entre outras individualidades.





Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio