Start-ups Lisbon Challenge cumpre sonho antigo e investe em start-ups

Lisbon Challenge cumpre sonho antigo e investe em start-ups

A edição deste ano do Lisbon Challenge, que arranca em Setembro, vai ter dez start-ups, que vão receber um investimento inicial de dez mil euros. A fasquia poderá, contudo, aumentar. “Era algo que desde o início queríamos fazer”, conta Pedro Rocha Vieira.
Lisbon Challenge cumpre sonho antigo e investe em start-ups
Bruno Simão
Ana Laranjeiro 21 de maio de 2017 às 14:00

O Lisbon Challenge, programa de aceleração de start-ups organizado pela Beta-i, vai arrancar em Setembro e este ano tem algumas novidades face às edições anteriores. A Beta-i vai passar a investir 10 mil euros nas 10 start-ups que integrem o programa. Em troca ficam com 1,5% do capital da empresa.

O financiamento vai ser realizado pela LC Ventures, sociedade de capital de risco associada à Beta-i. No final do Lisbon Challenge, algumas start-ups poderão receber um financiamento adicional na ordem dos 50 mil euros. 

Pedro Rocha Vieira, CEO da Beta-i (entidade que organiza o Lisbon Challenge), conta ao Negócios que dar um investimento inicial às start-ups que participam no programa era "algo que desde o início queríamos fazer". Contudo, houve vários motivos para que isso não tenha acontecido antes. "Há um caminho. Nem nós estávamos preparados, [nem] tínhamos ligação ao fundo de investimento, nem tínhamos um conhecimento tão profundo [como o] que temos de start-ups para fazer as coisas bem-feitas", explica. A ideia com esta mudança é também promover o co-investimento, "uma das coisas que sentimos que é necessário em Portugal".


Lá fora, várias organizações que desenvolvem programas de aceleração já investem em start-ups que entram para os seus programas. "Em todos os ecossistemas maduros há muito co-investimento, em especial nas fases iniciais porque não se sabe quais são as que vão funcionar melhor. É bom investirmos em conjunto com outros ‘players’, que tenham estratégias semelhantes e que possam ajudar as start-ups também a crescer em conjunto. Quando as start-ups precisarem de uma ronda seguinte poderemos também acompanhar essa ronda. E em conjunto – investidores iniciais – atrair outros investidores", acrescenta.


Um dos objectivos do programa de aceleração é encontrar bons projectos e ajudá-los a que tenham um produto adequado à realidade dos mercados, bem como a prepararem-se para angariarem mais financiamento.

As inscrições para edição deste ano do Lisbon Challenge já começaram e prolongam-se até 15 de Julho. A Beta-i procura projectos em áreas como machine learning, inteligência artificial, big data, internet of things, telecomunicações, retalho, indústria 4.0 e mobilidade.

Após o encerramento da fase de candidaturas, vai ser feita uma escolha e vão ser seleccionadas 30 start-ups para participarem num bootcamp, de uma semana, e que vai ter lugar em Setembro. No final dessa semana, vão ser seleccionados os 10 projectos que vão integrar o programa de aceleração, agendado para começar a 25 de Setembro e terminar a 7 de Dezembro.

 

 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI