Tecnologias  CEO da Ageas diz que em Portugal "a governação de topo mata a inovação"

CEO da Ageas diz que em Portugal "a governação de topo mata a inovação"

No entender do líder da Ageas Portugal, a estrutura "demasiado hierárquica" das empresas portuguesas é um dos grandes obstáculos à inovação.
 CEO da Ageas diz que em Portugal "a governação de topo mata a inovação"
Bruno Simão/Negócios
Lusa 23 de agosto de 2018 às 07:49
"A governação de topo mata a inovação" e o tecido empresarial português "é muito hierárquico", disse à Lusa o CEO da Ageas Portugal, Steven Braekeveldt, à margem do Singularity University Global Summit em São Francisco.

A estrutura "demasiado hierárquica" das empresas portuguesas é um dos grandes obstáculos à inovação, afirmou o executivo, referindo que em Portugal a noção das transformações tecnológicas que estão a acontecer "é muito baixa".

Steven Braekeveldt falava no rescaldo da cimeira global da escola de inovação criada pelos futuristas Ray Kurzweil e Peter Diamandis, Singularity University, que em outubro faz a sua estreia em Portugal.

O CEO da Ageas Portugal, que é uma das parceiras corporativas do evento que terá lugar em Carcavelos, defendeu que a cimeira SingularityU Portugal tem que ser "centrada nos tópicos nacionais", tendo como principal objectivo "aumentar a consciência de todas as empresas, universidades, autoridades e organizações não governamentais" da disrupção tecnológica que aí vem.

A cimeira global que decorreu em São Francisco abordou a ascensão da inteligência artificial, condução autónoma, 'blockchain', moedas digitais e outras tecnologias que estão a evoluir rapidamente.

Steven Braekeveldt afirmou que "o mais importante é a convergência", mais que novas tecnologias, e que o evento em Portugal "deve ter oradores carismáticos e inspiradores", que consigam "passar as mensagens".

O CEO explicou ainda que o envolvimento da seguradora, que em 2016 comprou a Axa Portugal, se deve ao impacto que estas novas tecnologias já estão a ter no ramo e vão mudar a forma como se fazem seguros, desde o sector automóvel ao da saúde.

"Ao contrário do que muita gente pensa, de que estar no ramo dos seguros é a coisa mais aborrecida do mundo, estamos a ser confrontados com tudo o que é tecnologia", argumentou.

A intenção da Ageas Portugal, sublinhou, é "estar na fila da frente" para "ver como isto vai ter impacto" na empresa.

O SingularityU Portugal irá decorrer a 8 e 9 de Outubro no campus de Carcavelos da Nova School of Business and Economics (Nova SBE), que se associou à Beta-i e a Câmara Municipal de Cascais para garantir a realização da iniciativa em Portugal.

Ageas Portugal, Galp e Semapa são os parceiros corporativos da SingularityU Portugal e fizeram parte da comitiva portuguesa que se deslocou até à Califórnia para o Global Summit.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI