Tecnologias Apple quer ressuscitar iPad com traços de iPhone. Lança iPad Pro

Apple quer ressuscitar iPad com traços de iPhone. Lança iPad Pro

A Apple lançou as novas versões do iPad, nas quais incluem as mudanças mais significativas dos últimos três anos, e que vão ao encontro das características mais distintivas do produto bandeira da marca, o iPhone.
Reuters Reuters reute reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters
Negócios 30 de outubro de 2018 às 17:17

Chegaram os novos iPad Pro. A Apple remodelou o seu tablet, operando a mudança mais radical desde 2015, numa altura em que as vendas seguem uma trajectória decrescente. 

O tablet da Apple - na edição mais recente, o iPad Pro - tem duas novas versões, que incluem características chave do iPhone. Adoptou os rebordos mais finos, que dão a sensação de que o ecrã se estende a toda a largura do aparelho, processadores mais rápidos, melhorou a câmara e inclui identificação de rosto para desbloquear o dispositivo, para fazer pagamentos e para enviar emojis personalizados.

A versão mais pequena, com um ecrã de 11 polegadas, está disponível por 999 euros. A maior, de 12 polegadas, custa 1.129 euros e estão ambas disponíveis em duas cores: prateado ou cinzento sideral.



As vendas do iPad atingiram o pico de 26 milhões de unidades no primeiro trimestre fiscal de 2014. No último trimestre que coincidiu com o período mais lucrativo para a Apple, o das férias, as vendas não chegaram a metade das registadas no pico. Para além da quebra na quantidade, também o preço por unidade diminuiu.

Numa nota mais positiva para a "gigante da maçã", o iPad vê algum espaço para ganhar terreno com o impulso do novo software, dos preços mais baixos e com a concorrência pouco agressiva da Samsung e Amazon, que não têm impressionado o mercado nesta área. Os novos modelos podem dar a força necessária para a marca se relançar no bom caminho.




pub