Telecomunicações Foram realizadas 3 milhões de chamadas num ano nas cabines telefónicas da Meo

Foram realizadas 3 milhões de chamadas num ano nas cabines telefónicas da Meo

Nos postos públicos afectos ao serviço universal houve uma chamada por dia. A Anacom vê nestes números mais um argumento para se acabar com este serviço universal.
Foram realizadas 3 milhões de chamadas num ano nas cabines telefónicas da Meo
Bloomberg
Alexandra Machado 20 de dezembro de 2018 às 18:18

Os postos públicos de telefone, que são operados pela Meo, que é detentora do serviço universal neste segmento, afinal registam menos chamadas do que aquelas que a operadora inicialmente considerou. Segundo a Anacom, "o serviço universal de postos públicos prestado pela Meo regista uma média de uma chamada por posto público por dia no período de um ano (Abril de 2016/Março de 2017), de acordo com dados corrigidos pela Meo no passado mês de Agosto, complementados por correcções subsequentes", número que "é metade do valor anteriormente reportado", revelou o regulador em comunicado.

Que vê com estes novos números reforçada a sua recomendação de terminar com a designação de prestador para o serviço universal também no caso dos postos públicos. Para a Anacom, "o custo de financiar novas designações de prestadores para o serviço universal, tanto para o mercado no seu conjunto como indirectamente para os consumidores finais, é desproporcional e injustificado, porque não traz nenhum benefício relevante". A prestação do serviço universal neste caso custa ao sector (que é quem financia o serviço universal) 12,3 milhões por cinco anos. A Anacom salienta, ainda, que em 15 países da União Europeia não há designação do prestador de serviço universal para os postos públicos.

No total, os postos públicos registaram, com as correcções feitas, um total de 3,1 milhões de chamadas. Tinha sido reportado um tráfego de seis milhões de chamadas. Para a Anacom, "revela que a utilização dos postos públicos é muitíssimo reduzida".

Mas há uma justificação para esta diferença: é que nos 3,1 milhões não foram consideradas as chamadas automáticas de rotina geradas pelo sistema de gestão do parque telefónico, mas foram incluídas outras - não especificadas no comunicado.

Do parque total de postos públicos que existem em Portugal, 42% estão afectos ao serviço universal, ou seja, 8.222 postos. Em 5% deles não foi feita qualquer chamada no período. 

A Anacom já tinha proposto que não houvesse mais designação do prestador do serviço universal quando os actuais contratos terminassem, e ainda sugeriu que se revisse o contrato em vigor com a Nos para o serviço fixo telefónico. 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI