Bolsa BCP nos 2 cêntimos permite ganhos em Lisboa

BCP nos 2 cêntimos permite ganhos em Lisboa

As acções do banco liderado por Nuno Amado sobem mais de 3%, numa sessão em que os investidores aguardam as palavras de Mario Draghi sobre a política monetária do BCE. As bolsas europeias já estão em queda.
BCP nos 2 cêntimos permite ganhos em Lisboa
Bloomberg
Nuno Carregueiro 21 de julho de 2016 às 11:30

A bolsa nacional está a valorizar pela quarta sessão consecutiva, apoiada nos ganhos do BCP e da Nos, conseguindo contrariar a tendência de queda das principais praças europeias.

 

O PSI-20 soma 0,35% para 4.620,54 pontos, com 12 cotadas em alta e seis em queda. Nas praças europeias a tendência é agora de queda, com os investidores a reagirem às declarações do Governador do Banco de Japão, que afastou a possibilidade de injectar dinheiro directamente na economia.

 

Nas bolsas asiáticas a sessão foi de ganhos, com o MSCI Asia Pacific Index a superar o pico atingido em Abril para negociar no valor mais alto deste ano. Os investidores aguardam com expectativa a reunião do BCE e as declarações do presidente da autoridade monetária. Segundo a agência Bloomberg, Draghi não deverá falar em políticas monetárias concretas de resposta aos efeitos decorrentes do Brexit, embora se espere que o dirigente europeu transalpino possa deixar algumas indicações sobre aquilo que o BCE poderá fazer para minimizar a incerteza provocada pelo processo negocial de saída do Reino Unido da União Europeia.

 

Em Lisboa é o Banco Comercial Português que mais impulsiona o PSI-20, com um ganho de 3,09% para 0,02 euros. O Banco BPI recua 1,25% para 1,107 euros. Decorre amanhã a Assembleia Geral para deliberar sobre a desblindagem de estatutos do banco, que é essencial para avançar a OPA do CaixaBank.

 

Ainda a impulsionar a bolsa está a Nos, com uma subida de 2,89% para 5,764 euros, depois do Santander ter elevado a recomendação das acções da cotada para "comprar", com um preço alvo de 6,60 euros.

 

A limitar os ganhos do índice a Galp Energia cede 0,79% para 12,525 euros e a Mota-Engil recua 0,75% para 1,716 euros.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI