Bolsa Progressos comerciais e fusões e aquisições animam Wall Street

Progressos comerciais e fusões e aquisições animam Wall Street

As bolsas dos EUA iniciaram o dia em alta, a beneficiar dos "progressos substanciais" nas negociações entre os EUA e a China e de notícias de fusões e aquisições.
Progressos comerciais e fusões e aquisições animam Wall Street
Reuters
Sara Antunes 25 de fevereiro de 2019 às 14:36

Os principais índices bolsistas dos EUA estão em alta, a refletir o sentimento positivo gerado pelos comentários do presidente dos EUA sobre as negociações comerciais entre Washington e Pequim. A animar estão também as notícias sobre fusões e aquisições do outro lado do Atlântico. 

Neste ambiente, o Dow Jones sobe 0,64% para 26.199,17, o Nasdaq aprecia 0,8% para 7.587,70 pontos e o S&P500 ganha 0,57% para 2808,62 pontos.

Donald Trump voltou a animar os investidores, ao reportar "progressos substanciais" nas negociações comerciais entre os EUA e a China.

 

Este anúncio, feito no fim de semana e através do Twitter, está a elevar a expectativa dos investidores em torno de um desfecho positivo na guerra comercial entre as duas maiores potências do mundo.

 

Empresas como a Caterpillar, mais expostas a estas questões comerciais, estão a subir quase 2%.

 

A beneficiar deste entusiasmo estão também as tecnológicas, como a Apple, que aprecia mais de 1%, e as empresas de semicondutores, como a Intel ou a AMD, que sobem 1% e 3%, respetivamente.

 

Mas o grande destaque está a ser a General Electric, cujas ações estão a disparar mais de 13%, depois de ter anunciado a venda da unidade de biofarmacêutica por 21 mil milhões de dólares. A Danaher, empresa que comprou este negócio, está a subir quase 8%.

 

A Newmont Mining também está sob os holofotes, depois de a rival canadiana Barrick Gold ter anunciado que vai avançar com uma oferta de compra hostil, no valor de 18 mil milhões de dólares. Os títulos da Newmont estão a descer quase 1%.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI