Bolsa Wall Street ainda treme com lei de Hong Kong apesar de reconforto quanto ao acordo comercial

Wall Street ainda treme com lei de Hong Kong apesar de reconforto quanto ao acordo comercial

Wall Street abriu no vermelho numa altura em que a incerteza quanto ao acordo comercial entre Washington e Pequim continua a pesar na mente dos investidores.
Wall Street ainda treme com lei de Hong Kong apesar de reconforto quanto ao acordo comercial
Reuters
Ana Batalha Oliveira 21 de novembro de 2019 às 14:49

Os três principais índices de Wall Street abriram no vermelho, numa altura em que os investidores se mantêm cautelosos quanto ao desenrolar das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

O S&P500 e o Dow Jones caem ambos na mesma medida -0,11%, com o generalista a fixar-se nos 3.104,97 e o industrial a colocar-se nos 27.791,29. O tecnológico Nasdaq é o que apresenta a quebra mais ligeira, muito próxima da linha de água: cede 0,04% para os 8.526,39 pontos.

O acordo comercial entre a China e os Estados Unidos continua a ser o foco dos investidores, cujos receios foram alimentados pelas notícias de que o líder da Casa Branca deverá aprovar uma nova legislação sobre Hong Kong ainda esta quinta-feira, uma decisão que poderá abalar as relações com a China em plenas negociações para um acordo parcial.

Contudo, maiores perdas foram travadas pelos comentários do responsável das negociações por parte da China, Liu He, que se declarou "cautelosamente otimista" no que toca ao entendimento comercial entre as duas nações. Mais tarde, foi a vez de o porta-voz do ministério do Comércio chinês, Gao Feng, vir garantir que os "rumores externos" acerca das conversações entre as duas maiores economias do mundo não têm fundamento, ao mesmo tempo que assegurou que ambas as delegações mantêm um contacto próximo. Foi ainda levantada a hipótese, embora não confirmada oficialmente, de que os Estados Unidos estariam dispostos a adiar a implementação das tarifas previstas para 15 de dezembro caso o acordo comercial parcial ainda não tenha sido concluído nesse dia. 

A brilhar dentro do tecnológico Nasdaq está a empresa TD Ameritrade. A cotada está a valorizar 16,89% para os 48,37 dólares, depois de ter sido noticiado que a Charles Schwab pretende comprar a Ameritrade. A empresa interessada na compra também soma 6,89% para os 47,81 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI