Mercados Dropbox entra na Bolsa de Nova Iorque e espera arrecadar 500 milhões de dólares

Dropbox entra na Bolsa de Nova Iorque e espera arrecadar 500 milhões de dólares

A empresa de armazenamento de dados online Dropbox confirmou que vai abrir o seu capital a investidores, esperando arrecadar 500 milhões de dólares na sua IPO (oferta inicial pública) na bolsa de Nova Iorque.
Dropbox entra na Bolsa de Nova Iorque e espera arrecadar 500 milhões de dólares
Reuters
Lusa 24 de fevereiro de 2018 às 10:54

Esta sexta-feira, 23 de Fevereiro, a empresa de armazenamento de dados online Dropbox solicitou oficialmente a entrada em Wall Street, tendo entregado à Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) a documentação necessária, esperando arrecadar 500 milhões de dólares na sua IPO (oferta inicial pública) na bolsa de Nova Iorque.

 

A operação, que será uma das mais importantes desde a entrada do Snapchat em Wall Street, em Março de 2017, deve ser concretizada durante este ano. Entre os doze bancos listados como principais subscritores estão Goldman Sachs e J. P. Morgan.

 

A Dropbox será cotada na plataforma de valores tecnológicos Nasdaq sob o símbolo DBX, não tendo indicado até agora o preço estimado das suas primeiras acções negociadas.

 

Em 2014, a Dropbox foi avaliada em cerca de dez mil milhões de dólares, estimativa que se encontra desactualizada, segundo especialistas.

 

O serviço para armazenamento e partilha de arquivos, baseado no conceito de "computação em nuvem", foi fundado em 2007. Onze anos depois possui cerca de 500 milhões de clientes registados, mas a maioria deles não paga pelo serviço.

 

Apenas 11 milhões de usuários pagam pela versão "premium" da Dropbox, uma cifra que a empresa está a tentar aumentar através de uma campanha agressiva de marketing




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub