Obrigações Moody’s coloca rating do BPI no lixo

Moody’s coloca rating do BPI no lixo

A agência de notação financeira cortou em dois níveis a classificação da dívida de longo prazo do BPI, no âmbito do novo quadro regulamentar em Portugal para cenários de resolução.
Moody’s coloca rating do BPI no lixo
Lusa
Carla Pedro 26 de junho de 2019 às 18:19

A Moody’s cortou em dois níveis o rating da qualidade da dívida do BPI, que passou de Baa2 para Ba1 – o que corresponde ao primeiro grau da categoria de investimento especulativo, o chamado "lixo".

 

Em contrapartida, melhorou a perspetiva (outlook) para a evolução da dívida do banco liderado por Pablo Forero, de ‘negativa’ para ‘estável’. Isto porque já procedeu ao downgrade - e ao subir para 'estável' é porque não prevê medida similar para breve.

O BPI, detido pelo espanhol CaixaBank, já reagiu em comunicado divulgado junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

"Em março de 2019 entrou em vigor um novo quadro regulamentar em Portugal que estendeu a preferência creditícia a todos os depósitos bancários relativamente à dívida sénior ordinária (senior unsecured), reforçando assim a proteção dos depósitos num cenário de resolução. Na sequência daquelas alterações regulamentares, a agência de rating Moody’s reafirmou a classificação de investimento Baa1 [três níveis acima de ‘lixo’] dos depósitos de longo prazo do Banco BPI, com outlook ‘estável’", começa por sublinhar o documento do banco.

 

Os depósitos de clientes representam a principal fonte de financiamento do BPI, fonte que recentemente foi complementada com a emissão de obrigações hipotecarias que têm uma notação de Aa3 [a três níveis da melhor classificação da escala, o triplo A], acrescenta o mesmo documento.

 

Entretanto, agora "a Moody’s reduziu o rating do emissor e da dívida sénior ordinária de longo prazo do banco, de Baa2 para Ba1, com outlook "estável", uma vez que a extensão da preferência creditícia a todos os depósitos reflete-se numa redução do volume de instrumentos suscetíveis de absorver perdas ao nível da dívida sénior ordinária (senior unsecured) em caso de resolução, refere o banco para justificar esta decisão da agência de rating.

Assim, foi no âmbito do novo quadro regulamentar em Portugal – com impacto no rating desses títulos – que a agência cortou a notação da dívida de longo prazo do BPI.

 

O montante de dívida sénior ordinária do BPI era de 12 milhões de euros a 31 de março, explica o comunicado.

 

Apesar deste corte na classificação da dívida de longo prazo, a Moody’s destaca, no seu relatório, a melhoria da rentabilidade do BPI, os adequados níveis de capital e de liquidez, bem como os indicadores de qualidade de risco de crédito, que comparam favoravelmente com o setor em Portugal.

 

As agências S&P e Fitch atribuem uma classificação de investimento de qualidade à dívida de longo prazo do BPI, de BBB em ambos os casos, com outlook "estável".


(Notícia atualizada às 18:38)

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI