Outros sites Cofina
Negocios em rede
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

Desafio 2030: transferir conhecimento e tecnologia para as empresas

A colaboração entre as instituições de ensino superior e as empresas ainda é reduzida em Portugal quando comparada com a média europeia. É necessário mudar para valorizar o conhecimento e explorar o seu potencial económico.

14 de Dezembro de 2020 às 13:04
Luís Miguel Ribeiro, presidente da Fundação AEP, com Carlos Tavares, chairman e CEO do Banco Montepio
Luís Miguel Ribeiro, presidente da Fundação AEP, com Carlos Tavares, chairman e CEO do Banco Montepio
  • ...

Na edição de 2020 do EIS (European Innovation Scoreboard), publicado em junho com dados referentes ao ano de 2019, Portugal é considerado como um país "fortemente inovador", ocupando a 12.ª posição neste ranking europeu.

No entanto, segundo dados do Relatório da Comissão Europeia sobre o Estado da Cooperação Universidade-Empresa na União Europeia, publicado em 2018, e apesar da qualidade da investigação realizada em Portugal, o grau de colaboração entre as Instituições de Ensino Superior (IES) e as empresas é ainda reduzido, face à média europeia, apresentando o país uma dificuldade persistente na valorização económica do conhecimento.

A transferência de tecnologia e de conhecimento apresenta-se como uma estratégia de crescimento fundamental para a inovação e para o incremento sustentável do tecido económico.

"O grau de partilha do conhecimento produzido nas nossas universidades, e nas diversas entidades que integram o sistema científico e tecnológico com as empresas, é o ponto de partida para uma reflexão que nos permita pensar que caminhos devemos seguir para que este conhecimento chegue de forma efetiva às empresas, mas acima de tudo traga inovação ao tecido empresarial nacional", explica Luís Miguel Ribeiro, presidente da Fundação AEP, na sessão de apresentação do Desafio 2030.

 

Projeto Desafio 2030

Foi esta necessidade de dinamizar a circulação e a valorização do conhecimento para reforçar a exploração do potencial económico daí resultante, que levou a Fundação AEP a desenhar o projeto Desafio 2030 – Transferência de Conhecimento e Tecnologia que, com o apoio do COMPETE 2020, tem agora início.


O projeto Desafio 2030, que conta com o alto patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, e a parceria do BEM – Banco Empresas Montepio, visa a colaboração e a transferência de conhecimento entre as IES e as empresas nacionais, fomentando a sua aproximação e a ativação de ações estratégicas, para fazer face aos desafios da inovação.

No âmbito do projeto, que tem a duração de 24 meses e intervenção nas regiões do Norte, Centro e Alentejo, destaca-se a realização de um estudo de boas práticas internacionais de transferência de conhecimento, um referencial de inovação aberta para as PME com teste em grupo-piloto e o desenvolvimento do portal digital www.desafio-2030.pt, que funcionará como um agregador de informação e de conhecimento.

 

Contribuir para a partilha de conhecimento

O projeto Desafio 2030 pretende constituir-se como uma boa parte da resposta aos problemas e desafios que as empresas nacionais enfrentam. "A nossa ambição é a de contribuir para a partilha efetiva de conhecimento e que este traga valor acrescentado às empresas", conclui Luís Miguel Ribeiro.


A parceria entre o Banco de Empresas Montepio e a Fundação AEP é uma mais-valia para este projeto, já que permitirá alargar o âmbito desta iniciativa e promover sinergias e complementaridade com as áreas/eixos tradicionais da fundação. A prática tem demostrado que são necessárias intervenções multidisciplinares, que mobilizem organizações e competências complementares, para garantir a eficácia dos grandes projetos.

Carlos Tavares, chairman e CEO do Banco Montepio, refere que "perante uma crise sem precedentes e de contornos ímpares, é necessário que as empresas procurem a diversificação e a diferenciação dos seus produtos, o aumento da competitividade e o reforço da sua dimensão através de um esforço de investimento suportado por estratégias de capitalização de longo prazo".

A variável-chave neste processo é a produtividade, que muito dependerá da capacidade de colocar o conhecimento, a tecnologia e a inovação ao serviço da criação de valor acrescentado. Neste contexto, "a visão do Desafio 2030 não podia estar mais alinhada, ao propor-se acelerar a cooperação entre as instituições do ensino superior e as empresas portuguesas", conclui Carlos Tavares.

"É o ponto de partida para uma reflexão que nos permita pensar que caminhos devemos seguir para que este conhecimento chegue de forma efetiva às empresas, mas acima de tudo traga inovação ao tecido empresarial nacional." Luís Miguel Ribeiro, presidente da Fundação AEP
"O Banco de Empresas Montepio reconhece a importância crítica destes objetivos e cumpre com esta associação a sua missão de contribuir para as diferentes formas de capacitação das empresas." Carlos Tavares, chairman e CEO do Banco Montepio









Mais notícias