Outros sites Cofina
Negocios em rede
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

Incentivos e benefícios fiscais por essa Europa fora

Medidas governamentais e mudança de estratégia das marcas contribuem decisivamente para a proliferação de automóveis mais amigos do ambiente.

27 de Fevereiro de 2020 às 11:07
  • ...

Prevê-se que sejam vendidos um milhão de elétricos e híbridos plug-in este ano. Os números foram avançados pela Quercus em setembro passado, inspirada no relatório publicado pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente (T&E), e demonstram o crescimento das vendas destes veículos. A aposta dos construtores da indústria automóvel nestes modelos, alguns mais urbanos e pequenos, a maior produção de fábrica ou a estratégia de pôr mais elétricos nas frotas de empresa são medidas que contribuem para este esperado aumento de automóveis "verdes".

 

Também as mudanças na legislação e os incentivos fiscais na maioria dos Estados-membros da União Europeia e de outros países, como a Noruega, estiveram na base deste previsível (e já real) aumento de vendas de veículos BEV – Battery Electric Vehicles (os 100% elétricos) e PHEV – Plug-in Hybrid Electric Vehicles (os híbridos plug-in).

 

Aqui ficam algumas das medidas e dos incentivos levados a cabo pelos governos – por vezes em parceria com as marcas – em certos países europeus que contribuem para que haja cada vez mais carros ecológicos nas estradas do Velho Continente. Não pertence à UE, mas a Noruega é o exemplo a seguir nesta matéria. Mais de metade dos carros novos vendidos neste país são elétricos, segundo a Federação Rodoviária Norueguesa. O não pagamento de portagens, o facto de se poder utilizar faixas destinadas aos transportes públicos nos centros urbanos, o estacionamento gratuito ou a aposta cada vez maior em postos de carregamento contribuem decisivamente para a proliferação dos BEV no país.

 

Outro país fora da UE, mas que também aposta na política de isenções fiscais até março de 2021 para elétricos e veículos que emitam menos de 50 g CO2/km é o Reino Unido. Já os incentivos na compra podem ir até 3.500 libras esterlinas (4.200 euros) para automóveis ou 8.000 para veículos comerciais (9.600 euros).

 

Aqui ao lado na vizinha Espanha, existe uma redução de 75% no Imposto Único de Circulação (IUC) para os BEV nas principais cidades, como Madrid, Barcelona, ??Valência ou Saragoça. No que diz respeito aos outros incentivos, estes são de 5.500 euros para carros elétricos, 6.000 para veículos comerciais ou 15.000 para veículos pesados.

 

Na Alemanha, o "bónus ambiental" governamental é de 4.000 euros para os BEV e 3.000 euros para os PHEV.

Mais notícias