Outros sites Cofina
Negocios em rede
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

Conhecimento através de uma plataforma de WhatsApp

A rede Sharing Knowledge surgiu em março de 2020, em plena pandemia, para a partilha de ideias, informação e conhecimento sobre os desafios que se colocavam à economia e sociedade neste tempo complexo.

01 de Outubro de 2020 às 07:35
Sonsoles Jimenez, Francisco Jaime Quesado, Carlos Colho, António Correia e Andreia Madeira, da rede Sharing Knowledge
Sonsoles Jimenez, Francisco Jaime Quesado, Carlos Colho, António Correia e Andreia Madeira, da rede Sharing Knowledge
  • ...

Em pleno confinamento por causa da pandemia de covid-19, Francisco Jaime Quesado tomou a iniciativa no final de março de convidar gestores, académicos e especialistas de diversas áreas para formarem um grupo informal por WhatsApp que tomou o nome de Sharing Knowledge.

Para celebrar seis meses do grupo surgiu a ideia de organizar uma sessão de partilha, recorrendo aos meios digitais, "com o objetivo de fazer um ponto de situação desta experiência colaborativa, discutir ideias para o futuro e ajudar a apontar pistas para que cada um no seu contexto de atuação e na sua área de intervenção possa estar mais capacitado nas respostas a dar à crise", como assinalou Francisco Jaime Quesado.

Esta sessão teve "uma intervenção do conhecido pensador britânico Charles Leadbeater – autor do livro ‘We Think’ – sobre 'We are what we Share' e que ajudou no contexto de partilha e discussão entre todos", sublinhou Francisco Jaime Quesado.


O objetivo do Sharing Knowledge começou por ser a partilha de ideias, informação e conhecimento sobre os desafios que se colocavam à economia e à sociedade neste tempo complexo e o acesso ao que de melhor se produzia em termos internacionais e nacionais sobre a pandemia nas suas diferentes dimensões, como estudos, documentos de referência, apresentações, para depois partir para a discussão de ideias e soluções que pudessem ser úteis para a comunidade.

 

Cerca de 150 membros

A plataforma colaborativa começou com cerca de 50 membros de várias partes do país e também de pessoas ligadas a instituições como a Comissão Europeia e a OCDE, sobretudo pessoas com quem Francisco Jaime Quesado se cruzou nas suas experiências profissionais, pois foi quadro superior do Grupo Amorim e da AEP – Associação Empresarial de Portugal, em que dinamizou inúmeros projetos nas áreas da Estratégia, Inovação e Competitividade, gestor do POSC – Programa Operacional Sociedade do Conhecimento, que financiou projetos estratégicos em TIC em Portugal, da Agência da Inovação, CEiiA, ESPAP e na sua docência na Universidade do Porto e na Universidade Católica.

O ritmo de adesões tem sido regular e tem cerca de 150 membros, "com um equilíbrio em termos de experiências e áreas de conhecimento envolvidas, o que torna a partilha e a discussão mais ricas", garante Francisco Jaime Quesado. Entre os aderentes contam-se Carlos Moedas, Miguel Poiares Maduro, Miguel Monjardino, António Brochado Correia, Pedro Rocha Vieira, Miguel Pina Martins e Carlos Coelho, entre outros.


Esta plataforma caracterizou-se por "uma dinâmica intensa de partilha de documentos de referência que ajudaram numa melhor perceção e avaliação do momento e na discussão informal dos desafios para o futuro. Entre os muitos documentos partilhados, de referencial, a título de exemplo, a excelente apresentação da London Business School – "The Economics of the Pandemics" (considerada uma das melhores produzidas nesse período) e que era atualizada todas as semanas, permitindo ao grupo uma discussão muito completa da evolução da situação", explica Francisco Jaime Quesado.

Ideias para o futuro

"Time to share – New Ideas for a Smart Future", que se realizou ontem por videoconferência foi o ponto de partida e de chegada de uma experiência informal, a Sharing Knowledge, que permitiu manter pessoas juntas, em rede, partilhando informação, ideias e conhecimento num tempo complexo e incerto.

Como explica Francisco Jaime Quesado, "ponto de chegada porque estes seis meses têm sido únicos na qualidade da informação partilhada e no sentido de entrega de todos para a construção das melhores soluções para o futuro. Ponto de partida pois os desafios que temos pela frente enquanto economia e sociedade são complexos e existe a vontade firme de todos de continuar com confiança e convicção esta iniciativa inovadora de partilha inteligente de informação e conhecimento.

Mais notícias