Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

As avaliações do BPI para 16 cotadas da bolsa nacional

O CaixaBank/BPI atualizou as suas avaliações para as cotadas da bolsa para 2020. O banco de investimento melhorou os preços-alvo de metade das empresas que acompanha em Lisboa e só reviu em baixa uma recomendação. As papeleiras e a Sonae são as empresas que apresentam o maior potencial de ganhos, não existindo nenhuma cotada a negociar acima do "target" dos analistas.

Semapa com margem para dispara 80%

Semapa com margem para dispara 80%

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 25,1 euros

A Semapa é a empresa que apresenta o maior potencial de subida face ao preço-alvo dos analistas do Caixabank/BPI. O banco atribui um "target" de 25,10 euros à empresa, uma avaliação inferior aos 25,65 euros a que a entidade avaliava antes a empresa. A margem de progressão face à cotação é superior a 80%, com os analistas a realçarem que a empresa negoceia com um grande desconto face ao setor. Já a liquidez é "um constrangimento".

Sonae: desconto “excessivo” para oferta de valor

Sonae: desconto “excessivo” para oferta de valor
Recomendação: Comprar
Preço-alvo: 1,45 euros

A Sonae é uma das empresas na lista de espera para integrar a "core list" do BPI. Os analistas melhoraram a avaliação para a Sonae em 10 cêntimos para 1,45 euros, um preço que confere um potencial de subida de 58% à companhia. Os especialistas referem que o desconto a que as ações negoceiam é "excessivo", na medida em que a tendência de subida dos resultados deverá permanecer suportada pelo consumo interno e a reestruturação de ativos deverá permitir uma cristalização de valor. A recomendação é, assim, "comprar".

Preço-alvo da Altri melhorado em 6%

Preço-alvo da Altri melhorado em 6%

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 8,15 euros

O Caixabank/BPI subiu o target da Altri em 6% para 8,15 euros, com a recomendação a permanecer "comprar". A convicção dos analistas é que a empresa vai beneficiar com a recuperação dos preços da pasta em 2020, uma evolução positiva que deverá dar suporte às ações. Além dos preços da matéria-prima, a papeleira deverá ser sustentada pelos bons resultados. O potencial de subida é de cerca de 42%.

Navigator é a aposta mais recente

Navigator é a aposta mais recente

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 5,1 euros

A Navigator é a mais recente aposta nacional na "core list" do CaixaBank/BPI. A papeleira, que entrou na lista de preferidas do banco há dois meses, deverá beneficiar com a recuperação dos preços da matéria-prima. "Os preços da pasta e do papel devem retomar uma tendência positiva em 2020, o que deverá ser um importante catalisador para a ação", antecipa o BPI. O banco justifica ainda a aposta na empresa liderada por João Castello Branco, que será substituído por António Redondo em 2020, com o dividendo sustentável.

Analistas avaliam ações do BCP em 27 cêntimos

Analistas avaliam ações do BCP em 27 cêntimos

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 0,27 euros


A avaliação do Caixabank/BPI para o BCP passou de 26 para 27 cêntimos, um preço que confere uma margem de valorização de perto de 34% face à cotação das ações. Enquanto a melhoria dos ativos é apontada como o principal catalisador dos resultados, a decisão judicial sobre a conversão dos créditos hipotecários em francos suíços para zlotys na Polónia representa um fator de risco.

Nos fora da "core list"

Nos fora da 'core list'

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 6,50 euros

A Nos saiu da lista de empresas preferidas na Ibéria. Os especialistas justificam a saída com o facto de haver maiores preocupações competitivas. Ainda assim, os analistas continuam a recomendar a compra das ações e o preço-alvo subiu de 6,35 para 6,50 euros. O potencial de subida face à cotação é de cerca de 31%.

CTT podem valorizar 30%

CTT podem valorizar 30%

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 4,10 euros

Os analistas não mexeram na avaliação dos CTT, com o target a permanecer 4,10 euros e a recomendação "comprar". Esta avaliação dá uma margem de subida de cerca de 31% à empresa de correios. Os especialistas justificam a sua recomendação otimista para a cotada com o programa de corte de custos e a monetização dos ativos imobiliários, bem como o novo plano estratégico para Espanha.

Exposição externa é mais-valia da Jerónimo

Exposição externa é mais-valia da Jerónimo

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 18,65 euros

A Jerónimo Martins continua a ser uma das empresas preferidas do CaixaBank/BPI na bolsa lisboeta. A sua posição no mercado polaco, através da Biedronka, bem como a atividade na Colômbia são destacadas. Os analistas realçam que a Polónia vai continuar a ser o principal motor da atividade, enquanto na Colômbia, as vendas começam a mostrar sinais de subida. Apesar de atribuir um potencial de 27% à retalhista, o banco nota que após a escalada de 47% registada este ano, os investidores podem sentir-se menos tentados a investir.

REN: Dividendo elevado e estabilidade na regulação são oportunidade

REN: Dividendo elevado e estabilidade na regulação são oportunidade

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 3,40 euros

O Caixabank/BPI subiu a sua avaliação para a REN de 3,20 para 3,40 euros, com a recomendação a ficar em "comprar". Os especialistas realçam a melhoria do capex devido à transição energética, assim como o retorno de dividendo atrativo e a estabilidade regulatória. Importantes catalisadores que justificam a visão positiva do banco para a empresa.

Estratégia sólida e venda de ativos justificam aposta na EDP

Estratégia sólida e venda de ativos justificam aposta na EDP

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 4,50 euros

A EDP manteve-se na "core list" do CaixaBank/BPI e foi mesmo a cotada nacional onde o banco de investimento mais melhorou a sua avaliação. Os analistas realçam a "estratégia sólida apimentada pela venda de ativos" da elétrica. O banco de investimento realça que a empresa reiterou, nos resultados dos primeiros nove meses, os seus objetivos para o período de 2019 a 2022. A possibilidade das renováveis representarem uma fatia maior dos resultados e os rumores de concentração são outros potenciais catalisadores da ação.

Corticeira Amorim em lista de espera para a "core list"

Corticeira Amorim em lista de espera para a 'core list'

Recomendação: Comprar

Preço-alvo: 13,00 euros

A Corticeira Amorim é uma das empresas que está na lista de espera para integrar a "core list" do BPI. A corticeira apresenta um preço-alvo de 13 euros, 4% acima da avaliação anterior, o que lhe confere uma margem de progressão de 22,6%. Os analistas notam que os resultados bateram no fundo e deverão apresentar a partir de agora uma trajetória ascendente, suportados pela forte descida dos preços dos materiais.

Target para a Mota-Engil baixa 11%

Target para a Mota-Engil baixa 11%

Recomendação: Neutral

Preço-alvo: 2,50 euros

Os analistas do BPI cortaram a avaliação da Mota-Engil. O preço-alvo baixou de 2,80 euros para 2,50 euros, enquanto a recomendação permaneceu "neutral". Apesar das melhorias evidenciadas no mercado interno, o banco de investimento nota que permanecem preocupações em relação à fraqueza da atividade em Angola e no México.

Recomendação da EDP Renováveis baixa para "neutral"

Recomendação da EDP Renováveis baixa para 'neutral'

Recomendação: Neutral

Preço-alvo: 11,35 euros

A EDP Renováveis foi a única empresa que viu a sua recomendação reduzida de "comprar" para "neutral". O preço-alvo também baixou. Caiu de 11,55 para 11,35 euros. Os analistas justificam a descida de recomendação com a valorização das ações. "O preço da ação subiu 16% desde a nossa última nota em junho", escrevem os analistas, acrescentando que após este desempenho preferem esperar "por um melhor ponto de entrada".

Galp Energia é a que tem menor potencial

Galp Energia é a que tem menor potencial

Recomendação: Neutral

Preço-alvo: 15,60 euros

A Galp é uma das três empresas com uma recomendação de "neutral". A petrolífera apresenta o menor potencial de valorização face ao preço-alvo (15,6 euros): 3,8%. Os analistas notam que a petrolífera portuguesa é um dos nomes de crescimento no setor, com disciplina ao nível do investimento e um dividendo atrativo. No entanto, isto já está descontado no valor da cotação.

Sonae Capital reorganiza negócio

Sonae Capital reorganiza negócio
A Sonae Capital está a reorganizar o seu negócio, com a empresa a implementar um programa de venda de ativos, ao mesmo tempo que está a adquirir outros. Perante esta reorganização, o BPI decidiu suspender a avaliação, até que tenha maior visibilidade sobre os ativos "core" da empresa.

Ibersol enfrenta quebra de margens

Ibersol enfrenta quebra de margens

O Caixabank/BPI mantém a cobertura da Ibersol sob revisão. Ainda assim, os analistas realçam a melhoria das vendas, mas com as margens em quebra. Os especialistas consideram que a quebra das ações em bolsa em 2019 é justificada pelos receios em torno da perda de concessões em Espanha.

Patrícia Abreu pabreu@negocios.pt 30 de Novembro de 2019 às 10:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...
Ver comentários
Saber mais preço-alvo BPI recomendação
Mais lidas
Outras Notícias