Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mundo desenvolvido desacelerou ligeiramente no segundo trimestre

Itália, França e, sobretudo, o Japão explicam a redução da taxa de crescimento em cadeia no conjunto dos países da OCDE.

Negócios 26 de Agosto de 2015 às 12:46
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O PIB no conjunto dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) cresceu 0,4% no segundo trimestre do ano, ligeiramente abaixo dos 0,5% observados no trimestre anterior, e manteve o mesmo ritmo de crescimento homólogo, ao progredir 2%, como havia sucedido nos três primeiros meses de 2015.

A Zona Euro cresceu menos do que as sete economias mais desenvolvidas: o crescimento em cadeia foi de 0,3% (0,4% no primeiro trimestre) e a variação homóloga do PIB passou para 1,2% (contra 1%), revelam dados da OCDE, divulgados nesta quarta-feira, 26 de Agosto.

Itália, França e, sobretudo, o Japão, que registou uma contracção em cadeia (-0,4% após 1,1%) explicam a redução da taxa de crescimento no conjunto dos países da OCDE entre Abril e Junho. Na comparação homóloga, o quadro é distinto, com o Japão a destacar-se por ter registado um crescimento positivo (0,7%) pela primeira vez após quatro trimestres consecutivos de contracção.

Na Alemanha, o crescimento real do PIB acelerou em cadeia para 0,4%, após uma taxa de 0,3% no trimestre anterior, e subiu de 1,1% para 1,6% na comparação homóloga.

 

No Reino Unido e nos Estados Unidos, a economia acelerou em relação ao trimestre anterior mas perdeu um pouco de velocidade quando comparado com o desempenho no mesmo período do ano passado. Em ambos os casos, porém, continuam a ser as economias mais dinâmicas da OCDE, com crescimentos homólogos de 2,6%, no caso do Reino Unido, e 2,3%, no dos Estados Unidos.

No mesmo período, Portugal cresceu 0,5% em cadeia e 1,5% em termos homólogos, mantendo o ritmo de progressão registado no arranque do ano.

Ver comentários
Saber mais OCDE Zona Euro Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico Itália França Estados Unidos Reino Unido Alemanha macroeconomia crescimento
Mais lidas
Outras Notícias