Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Coliseu do Porto ainda dá prejuízo

O Coliseu do Porto continua a aproximar-se do “break-even”, mas ainda dá prejuízo. Fechou 2015 com um resultado negativo de 34,7 mil euros, pouco mais de um terço do registado no ano anterior. O passivo teve um corte de 38 mil euros, fixando-se em 442 mil euros.

Eduardo Martins
Rui Neves ruineves@negocios.pt 03 de Maio de 2016 às 16:33
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Duas décadas após a manifestação em defesa da continuidade do Coliseu do Porto como principal sala de espectáculos da cidade, contra a tentativa de compra do edifício pela Igreja Universal do Reino de Deus, o equipamento continua a não conseguir pisar palco financeiro positivo.

Apesar disso, o Coliseu do Porto tem vindo a melhorar a sua sustentabilidade financeira – fechou 2015 com um prejuízo de 34,7 mil euros, o que traduz uma redução da ordem dos 60% face aos 86 mil euros verificados no ano anterior. Em 2013, os prejuízos tinham atingido os 129 mil euros.

"Para se afastar de resultados de exercício negativos, aproximar-se do ‘break-even’, como neste momento já está a acontecer, e até ultrapassar um estado de equilíbrio periclitante, teve que se modernizar nos métodos de trabalho e de negócio, mobilizar colaboradores, alterar mentalidades e fazer rupturas e, não menos importante, incrementar a qualidade da sua programação, aprofundando a vocação para ocupar um território multifuncional", enfatiza Eduardo Paz Barroso, presidente da Associação "Amigos do Coliseu do Porto".

Inaugurado em 1941 e gerido desde 1995 pela associação fundada por Estado, autarquia e Área Metropolitana do Porto, o Coliseu do Porto viu o seu passivo recuar cerca de 38 mil euros, para se fixar, a 31 de Dezembro de 2015, em 442 mil euros.

De acordo com o relatório e contas da instituição, que foi aprovado por unanimidade em assembleia-geral, na passada sexta-feira, a rubrica subsídios à exploração ascendeu a 181 mil euros no último exercício, dos quais 120 mil tiveram origem na Secretaria de Estado da Cultura.

Registou-se ainda um novo apoio, de quase 41 mil euros, da Santa Casa da Misericórdia do Porto, e a renovação do protocolo com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e União das Misericórdias Portuguesas, no valor de pouco mais de 20 mil euros.

O saldo das prestações de serviços aumentou 18% em 2015 para 859 mil euros. As receitas obtidas com os espectáculos de acolhimento (71) cresceram 64%, para 525 mil euros, enquanto as que chegaram com a produção própria diminuíram 18% para 334 mil euros.

No ano passado, o Coliseu do Porto realizou 128 espectáculos, mais 24 do que no ano anterior, aos quais assistiram 223 mil pessoas, mais 35 mil do que em 2014.

Ver comentários
Saber mais Coliseu do Porto cultura espectáculos Amigos do Coliseu do Porto Eduardo Paz Barroso
Outras Notícias